Violência na ruas de Recife

Violência na ruas de Recife

rosesaconi

12 Novembro 2011 | 09h05

12 de novembro de 1911

Depois das eleições do dia 5 de novembro, o Diário de Pernambuco noticiou a vitória de Rosa e Silva, com 21.613 votos. Dantas Barreto teve 19.585 votos e perdeu a disputa. Os partidários de Dantas Barreto não se conformaram com o resultado das urnas e o Recife foi alvo de muitos incidentes violentos. Cinemas e comércio fecharam as portas, os bondes pararam de circular e as pessoas ficaram com medo de sair nas ruas. A redação do jornal Diário de Pernambuco, uma empresa de propriedade de Rosa e Silva, foi alvo de tiroteios.

Neste mesmo dia, com o apoio das tropas do Exército, os grupos populares atacaram também os quartéis da polícia e o Palácio do Governo. Os tiros quase atingiram o governador de Pernambuco, Estácio Coimbra, homem de total confiança de Rosa e Silva.

A cidade se acalmou somente quando Estácio Coimbra solicitou uma intervenção federal para o Recife. O Congresso foi convocado e reconhecer oficialmente o candidato eleito.

Pesquisa e Texto: Rose Saconi
Tratamento de Imagens:
José Brito

Siga o Arquivo Estadão: Twitter@arquivo_estadao e Facebook/arquivoestadao