Entulho despejado irregularmente em vias públicas incomoda moradores de SP
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entulho despejado irregularmente em vias públicas incomoda moradores de SP

Diante do período de chuvas, população teme a presença de insetos e mosquito da dengue

Renata Okumura

23 Janeiro 2019 | 12h16

SÃO PAULO – Nos últimos meses, o Blog Blitz Estadão recebeu queixas de munícipes indignados com o excesso de lixo jogado em ruas e calçadas da cidade. Além de restos de construção e comida, há muitas embalagens de sorvete, água e refrigerante. Não somente cabe ao órgão público, mas a população também deve exercer seu papel de cidadania e evitar transtornos em dias de chuva, já que o lixo pode entupir bueiros e provocar alagamentos. Além disso, muitos terrenos baldios esquecidos pelos próprios donos podem se tornar um local propício para a transmissão de doenças.

Na Rua Galvão Bueno, na região da Liberdade, um cenário comum no fim da noite de domingo: garrafas plásticas e embalagens de comida espalhadas pela via após a feira de domingo, que reúne diversas pessoas. A gastronomia japonesa atrai moradores da cidade e também turistas. Mas, no fim da noite, as barracas dão lugar ao excesso de lixo pelas ruas que permanece até o dia seguinte quando o serviço de coleta passa pela via.

“Os visitantes deveriam parar de jogar lixo pela rua. Depois de comer, é só jogar a embalagem em uma lixeira”, disse moradora que preferiu não se identificar.

Moradora reclama de excesso de mato e insetos em terreno baldio Foto: Joelam Oliveira

Moradora da Rua Icatuaçu, na Freguesia do Ó, na zona Norte da cidade, relata que mora ao lado de um terreno que possui antena de celular, no entanto, o local está simplesmente abandonado e é ‘habitado’ por mato, ratos e muitos insetos.

“Não aguentamos mais o cheiro ruim e a presença de insetos. Não é feita a manutenção adequada do terreno. Fazem a manutenção na antena e depois vão embora. É questão de saúde pública”, disse Joelma dos Santos.

Em nota, a Subprefeitura da Freguesia/Brasilândia acrescenta que incluiu o local na programação de zeladoria e realizará uma vistoria nas próximas semanas para avaliar todas as medidas cabíveis.

Na zona Leste, o morador Bruno Machado se queixa de falta de limpeza na Passarela Frederico Maia, que liga a Mooca ao Cambuci pela Rua Luís Gama. “O local está lamentavelmente abandonado e precisa de varição, poda de algumas plantas e retirada de lixo”, enumerou ele.

Também cita a necessidade de pintura do entorno, luminária, colocação de gradil e equipamentos de academia para a terceira idade.

Em nota, a Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) informa apenas que realiza a varrição da passarela Frederico Maia três vezes na semana. Em média, são recolhidas 2,5 mil toneladas de resíduos por mês em toda a região. Além disso, a SPTrans realiza periodicamente manutenção da Passarela Frederico Maia (Luiz Gama). Entretanto, o local é constantemente alvo de vandalismo.

Desta forma, ações conjuntas sempre são realizadas com a Subprefeitura Sé, Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social e Guarda Civil Metropolitana.

Entulho despejado irregularmente na zona Sul de SP Foto: Leitor Antônio Carlos

Na zona Sul, o munícipe Antônio Carlos critica o descarte irregular de entulho em vias públicas do Jardim Guedala. Não somente de moradores, mas também de caminhões.

“Na madrugada do dia 1º de dezembro, um caminhão criminosamente despejou uma enorme quantidade de entulho de construção bem no meio da Rua Aléssio Rovai, onde moro há 30 anos. Criou um grande transtorno na região, pois essa pequena rua liga a Avenida Morumbi à Rua Dr. João Neves Neto, travessa da Avenida Oscar Americano”, destacou.

Depois de abrir nove protocolos, o leitor informou que o entulho foi retirado.

A Subprefeitura Butantã informou que realiza a limpeza da Rua Aléssio Rovai semanalmente e a retirada de entulho sempre que necessário, e garante que reforçará as ações de zeladoria no local. A solicitação do munícipe foi atendida ainda em dezembro.

Em média, mil toneladas de detritos são recolhidas mensalmente na região.

Vale ressaltar que o descarte irregular de entulho em vias públicas é passível de multa. Até 50 quilos, o valor da autuação é de R$ 790,18; acima desse montante, R$ 15.520 – conforme estabelece a Lei de Limpeza Urbana, nº 13.478/02.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9 7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.

Mais conteúdo sobre:

lixoSPqueixa