Festa clandestina é interrompida na zona norte de SP
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Festa clandestina é interrompida na zona norte de SP

No local, cerca de 100 pessoas estavam aglomeradas; além disso, a maioria não usava máscara de proteção facial

Renata Okumura

19 de abril de 2021 | 13h58

SÃO PAULO – Apesar da alta de mortes, internações e casos do novo coronavírus no Estado de São Paulo e outros Estados brasileiros, muitas pessoas ainda se recusam a respeitar as medidas adotadas pelas autoridades para reduzir a circulação do vírus.

Na madrugada de domingo, 18, a Vigilância Sanitária Estadual realizou 12 autuações na capital paulista. Uma delas ocorreu na zona norte da cidade, com a interrupção de uma festa clandestina. No estabelecimento, localizado na Vila Maria, cerca de 100 pessoas estavam aglomeradas e a maioria não usava máscara facial.

Segundo o governo de São Paulo, os responsáveis pelo evento foram encaminhados para o Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) para elaboração de termo circunstanciado. Na operação, foram apreendidos equipamentos de som, quatro máquinas de cartão de crédito e um veículo com as caixas de som usadas no evento.

Fiscalização de eventos irregulares. Foto: Governo de SP

Equipes da Polícia Civil e Militar também participaram da ação em apoio ao trabalho da Vigilância Sanitária Estadual, Procon e demais órgãos de fiscalização.

No fim de semana, a Polícia Militar atuou de forma preventiva na capital, litoral e interior em 34 ações de apoio à Vigilância Sanitária e 4.338 dispersões, flagrando 607 pontos de aglomeração em todo o Estado. Mais de 42 mil veículos foram vistoriados e 97 pessoas foram presas, sendo que 59 eram procuradas pela Justiça.

Paralelamente, a Vigilância Sanitária Estadual inspecionou 19 estabelecimentos na capital paulista. A equipe realizou 12 autuações, entre elas, a festa clandestina na Vila Maria, uma barbearia no bairro Imirim, duas lojas de decoração em Pinheiros e oito restaurantes e similares. Todos os estabelecimentos comerciais autuados estavam operando com atendimento presencial.

Comitê de Blitze

Criado no dia 12 de março, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, o Comitê de Blitze tem como objetivo reforçar as fiscalizações e o cumprimento das medidas restritivas do Plano São Paulo e evitar a propagação do coronavírus.

Qualquer pessoa pode denunciar festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços não essenciais pelo telefone 0800-771-3541 e também no site ou pelo e-mail, do Centro de Vigilância Sanitária.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.