Moradores da zona leste reclamam de buracos em ruas e calçadas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Moradores da zona leste reclamam de buracos em ruas e calçadas

População também se queixa do acúmulo de lixo na região

Renata Okumura

19 Julho 2017 | 18h01

SÃO PAULO – Calçadas da Avenida Águia de Haia estão praticamente intransitáveis. Moradores da zona leste relatam que um trecho foi reformado pela gestão anterior, porém, algumas calçadas da avenida permanecem quebradas. “Na altura do número 3.800, em frente ao açougue e à padaria, não dá para transitar e quando chove alaga tudo”, disse morador que preferiu não se identificar.

Moradores reclamam de calçadas quebradas na Avenida Águia de Haia (Foto: Renata Okumura)

Moradores da Rua Apoquitaua, na Vila Síria, também se queixam que a varrição ocorre com pouca frequência. “Todo o lixo da Avenida Águia de Haia vem para a Rua Apoquitaua. Serviço de varrição não está frequente”, reforçou Ana Aparecida.

Moradores cobram serviço de varrição (Foto: Renata Okumura)

A Prefeitura Regional São Miguel informa que os locais citados serão avaliados até o fim desta semana. “Ressalta ainda que a varrição é realizada toda quarta-feira e sábado. De acordo com a legislação municipal, a conservação das calçadas em propriedade particular é de responsabilidade do proprietário do imóvel. À Prefeitura Regional cabe fiscalizar e autuar nos casos em não conformidade com a Lei”, esclareceu a nota.

Lixo. O leitor Anselmo Serafim informa que a situação de descarte irregular pode ser constatada em São Miguel Paulista, na zona leste. “Moradores das Vilas Nair, Lapena, Gabi e União, que ficam para baixo da linha férrea, enfrentam uma alta complexidade de vulnerabilidade social, o lixo se propaga há muitos anos nesse locais, principalmente nessa área que fica embaixo do viaduto onde passa a Avenida Jacuí. A prefeitura retira o entulho, mas a população necessita de orientação e colaboração de uma ação para que todos venham a se conscientizar da importância da questão ambiental. A falta de educação vem agravando essa situação”, relatou Serafim.

A Prefeitura Regional São Miguel informa que a periodicidade de limpeza nos locais citados é a cada 90 dias. No entanto, sempre que acionada de forma emergencial, uma equipe é deslocada para efetuar a zeladoria necessária.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.

Mais conteúdo sobre:

lixoCalçadaszona leste