Moradores da zona norte cobram limpeza em praça e avenida
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Moradores da zona norte cobram limpeza em praça e avenida

Matagal na Praça Ângelo Conti já atinge um metro e meio de altura e provoca receio à população

Renata Okumura

30 de maio de 2017 | 16h00

SÃO PAULO – Moradores da Vila Sabrina, na zona norte da cidade, cobram limpeza da Praça Ângelo Conti, que fica perto da Rua Francisco Franco Machado. Por lá, há muito lixo e o mato já atinge altura de um metro e meio. “Há receio em passar aqui à noite. É preciso também podar o mato que está muito alto”, reforça a aposentada Paula Santos.

Mato alto e lixo na Praça Ângelo Conti (Foto: Renata Okumura)

Nas Avenidas Marechal Argolo Ferrão e João Simão de Castro, o mato também está muito alto no canteiro central e em alguns pontos já há, inclusive, entulho.

O morador Idérito Caldeira está com receio da proliferação de insetos. “O mato alto, lixo e entulho tomam conta dessas vias com a proliferação de insetos. Há risco aos moradores vizinhos”, destacou.

A Prefeitura Regional Vila Maria/ Vila Guilherme informa que, o canteiro central da Avenida João Simão de Castro, de acordo com a supervisão de limpeza pública da regional, é de responsabilidade da concessionária de energia, que já foi notificada para realizar os serviços solicitados.

Moradores reclamam de mato alto em canteiro central (Foto: Renata Okumura)

Quanto às Praças Ângelo Conti e Lourenço de Bellis, são pontos viciados de descartes irregulares de lixos despejados por moradores. “A previsão de limpeza do local é de 20 dias úteis. Vale ressaltar que a periodicidade destas ações ocorre de forma bimestral”, ressaltou a nota.

O descarte irregular desses materiais em vias públicas é passível de multa que pode chegar a mais de R$ 18 mil, conforme estabelece a Lei de Limpeza Urbana, nº13.478, além de ser considerado crime ambiental.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.

 

Tudo o que sabemos sobre:

matoLimpezalixo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.