Moradores temem enchentes com a proximidade do verão
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Moradores temem enchentes com a proximidade do verão

Prefeitura de São Paulo apresenta ações para amenizar os transtornos causados pelos temporais; no entanto, somente duas obras devem ficar prontas nesta temporada

Renata Okumura

29 Novembro 2017 | 15h30

SÃO PAULO – O verão começa oficialmente no dia 21 de dezembro, mas diante das fortes chuvas nesta época da primavera, moradores já estão apreensivos com o risco de enchentes a partir do próximo mês.

Nesta quarta-feira, 29, a prefeitura de São Paulo anunciou as obras para minimizar os danos e as ações de zeladoria que ocorrem para amenizar os transtornos causados pelos fortes temporais. No entanto, somente duas, das seis obras citadas, estarão prontas neste verão.

A moradora Vera Lúcia relata que há mais de um ano fez uma solicitação à Prefeitura Regional da Casa Verde, na zona norte, para que fosse realizada uma reforma na galeria de água localizada na Rua Doutor Inácio Proença de Gouveia com a Rua Antônio Cavazzam. Desde então, apenas foi informada que a regional estava sem equipes de obras.

Moradora cobra conserto em galeria de água Foto: Ricardo Ferreira – motorista da Blitz Estadão

“Em fevereiro deste ano, a galeria se rompeu e começou a infiltrar água por baixo da minha residência.  No mês de maio, eu retornei e falei com o prefeito regional que ficou de ir pessoalmente ao local.  No dia 24 de julho, a defesa civil interditou a minha residência.  Estou há quatro meses sem poder voltar a minha residência e o conserto está parado”, lamentou a moradora.

A Prefeitura Regional Casa Verde/Cachoeirinha informa que o imóvel em questão continua interditado até que se obtenha parecer jurídico do procedimento que deverá ser adotado ao caso.

Segundo a prefeitura municipal, dentro do contrato que prevê obras avaliadas em R$ 169 milhões, está sendo concluída a construção do mini piscinão Aricanduva, com capacidade para armazenar 3,2 mil m³. A estimativa é que já entre em operação neste verão. Na região, também estão previstos outros três mini piscinões, que devem ter as obras iniciadas somente em 2018.

Na zona leste, além de transtornos em dias de chuva nas proximidades da Avenida Aricanduva, motoristas também se queixam de alagamentos que ocorrem com frequência embaixo do Viaduto Milton Leão, na ligação entre a Avenida Águia de Haia e a Radial Leste. “É um transtorno. Toda vez que chove alaga tudo. É impossível transitar e o problema persiste há anos”, criticou o motorista Adriano Domingos.

Trecho que alaga constantemente na zona leste Foto: Renata Okumura

Na zona sul, as obras do Córrego Cordeiro tem previsão de entrega para fevereiro e abril do próximo ano. De acordo com a prefeitura, o piscinão RCO – 1 está em obras. O investimento é de R$ 54,1 milhões e prevê também a canalização do Córrego dos Alcatrazes.

A Secretaria das Prefeituras Regionais administra 20 piscinões na cidade. Todas elas estão mobilizadas com prioridade para a limpeza de bueiros, de galerias e dos piscinões.

Outras obras

A galeria do Córrego da Moóca – Rua Pindamonhangaba, na zona leste, terá o investimento de R$ 23 milhões e está em fase de captação de recursos.

O  piscinão Moóca 2 será um reservatório com capacidade para armazenar 135 mil m³ de água. Com investimento de R$ 96 milhões, também está em fase de captação de recursos.

O piscinão do Córrego Ipiranga, na região da Avenida Abraão de Moraes, na zona sul, está com as obras em andamento. Elas foram iniciadas em agosto deste ano e têm previsão de término no 2º semestre de 2019. Conduzida pelo Consórcio FBS/Coveg, a obra está orçado em cerca de R$ 160 milhões, sendo R$ 122 milhões de repasses do Ministério das Cidades.

O reservatório Riacho Ipiranga (RI 02) é constituído por dois compartimentos com aproximadamente 13 metros de profundidade e capacidade conjunta para armazenar 200 mil metros cúbicos. Ele receberá as águas excedentes do Riacho do Ipiranga, do córrego Água Vermelha e do córrego Cacareco.

Em parceria com o governo estadual, a prefeitura promete entregar o mini piscinão da Vila Itaim, obra aguardada há mais de dez anos por moradores afetados pelas enchentes.

Segundo a prefeitura, quando concluído, o mini piscinão, com capacidade para armazenar 19 mil m³ de água, poderá beneficiar mais de dez mil moradores.

O governo estadual irá investir R$ 96,4 milhões na obra, sendo R$ 58,4 milhões na construção do mini piscinão e R$ 38 milhões em desapropriações. O Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) já realizou a licitação e contratação da obra, que tem previsão de ser concluída após 16 meses do seu início.

Terminal Bandeira, no centro da cidade, alagado após temporal no início do ano Foto: Renata Okumura

+++ Chuva deixa passageiros ilhados em terminal de ônibus no centro de SP

No dia 6 de abril, Fábio Araújo estava se deslocando de Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, para o Terminal Bandeira, no centro da cidade. Porém, com a chuva, demorou mais de uma hora para conseguir acessar o terminal. Ele acrescenta que este problema é recorrente mesmo quando não chove muito.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.

Mais conteúdo sobre:

EnchenteChuvaPrefeiturasão paulo