As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sem calçada, pedestres dividem espaço com carros no Sumarezinho

Prefeitura informa que prédio em construção foi multado por não manter o passeio público em boas condições durante a execução da obra

Renata Okumura

04 de abril de 2019 | 14h42

SÃO PAULO – Moradores da Rua Capote Valente, na altura do número 1.400, no Sumarezinho, na zona oeste da cidade, relatam que há anos existe um prédio em construção na região que causa muitos transtornos.

“Ele fica na esquina com a Rua Heitor Penteado. É dessas construções intermináveis que se arrastam por anos. A calçada não existe, totalmente destruída pelo entra e sai da obra”, disse morador que preferiu manter o anonimato.

Moradores também relatam que no local não há sinalização para facilitar a passagem de pedestres.

“Para piorar, os caminhões de material estacionam na rua obrigando pedestres a dividirem espaço com os automóveis. É grande o risco de serem atropelados, pois os motoristas não tem a visão necessária”, reforçou morador.

Em nota, a Subprefeitura Pinheiros informa que realizou uma vistoria no local mencionado. A obra está regular e possui alvará.

Em relação à calçada, foi lavrado o auto de multa por não manter o passeio público em boas condições durante a execução da obra, conforme a lei integrante da Lei municipal 16.642 de 9 de maio de 2017.

O valor da multa foi de R$ 526,52 e os responsáveis foram intimados a adotar as providências necessárias à cessação das irregularidades, no prazo de 5 dias corridos, sob pena de aplicação de novas multas.

Desrespeito de caminhões Foto: Renata Okumura/ Estadão

ZONA LESTE: Caminhões de carga de rede atacadista desrespeitam moradores 

Moradores da Avenida Nordestina com a Rua Carlos Gilberto Campaglia, na Vila Nova Curuçá, na zona leste da capital paulista, relatam uma situação de constante desrespeito por parte de caminhões de carga e descarga do Assai Atacadista.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.