As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

SPTrans amplia ações de combate à fraude no Bilhete Único

Limite de recarga será alterado; medidas tem como objetivo restringir o acesso de fraudadores ao cartão e a comercialização irregular de créditos e BUs

Renata Okumura

30 de janeiro de 2019 | 11h36

SÃO PAULO – Diariamente, cambistas ficam em passarelas do metrô e ônibus anunciando a compra de Bilhete Único (BU). Chegam a dizer que ‘pagam bem pelo bilhete’. Para reduzir o número de fraudes, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) e a SPTrans vão ampliar o combate à fraude no Bilhete Único.

A partir desta sexta-feira, 1º, haverá limite de crédito do tipo comum em qualquer cartão do BU sem personalização, ou seja, sem dados pessoais impressos, além de modelos de estudante e Vale Transporte emitidos até 2013.

“A medida tem como objetivo restringir o acesso de fraudadores ao Bilhete Único e a comercialização irregular de créditos e cartões, prática criminosa que onera o sistema municipal de transportes e o cidadão paulistano”, destacou a nota.

A SMT publicou duas portarias nesta quarta-feira, 30. A primeira estabelece o limite de créditos e a segunda determina que a SPTrans cancele cartões flagrados contendo recargas irregulares ou ilícitas e comunique a polícia.

Com a mudança, a partir de fevereiro, esses modelos de cartões aceitarão, no máximo, cargas de 10 tarifas (R$ 43 no valor atual). Hoje o limite de créditos comuns é de R$ 350,00.

Quem tiver saldo acima de R$ 43,00 em um desses três modelos de bilhete terá quatro meses para utilizar esses créditos. Após esse período, os cartões com carga acima deste valor não serão mais aceitos em todo o sistema. Para recuperar o saldo restante em caso de não utilização, o passageiro deverá solicitar um novo cartão.

Apreensão de dinheiro e Bilhetes Únicos clandestinos Foto: Plantão Policial

RELEMBRE CASOS

No dia 17 de janeiro de 2018, cinco pessoas foram presas e um menor apreendido por fraude no Bilhete Único, perto da estação de metrô Tatuapé, na zona leste da cidade. Segundo a Polícia Civil, a ação ocorreu no dia 16, em uma operação deflagrada a partir de investigações realizadas por policiais do 14º DP (Pinheiros). “Com os suspeitos, onze cartões foram apreendidos, com valor total carregado de R$ 2.658,00”, reforçou a nota da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

Um passageiro, que preferiu não ser identificado, disse que isso ocorre diariamente. “Algumas vezes, alguns seguranças da CPTM ficam na entrada para coibir a presença dos vendedores ambulantes. Mas, na maioria das vezes, eles ficam em frente à estação oferecendo a venda do bilhete clandestinamente”, denunciou.

No dia 22 de junho de 2017, ao menos dez pessoas foram presas pela venda ilegal de Bilhete Único nas estações Barueri, Jardim Silveira e Engenheiro Cardoso da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). 60 Bilhetes Únicos foram apreendidos no valor aproximado de R$ 1,5 mil. Um dos indivíduos presos constava na lista de procurados pela Justiça.

No dia 7 de junho de 2017, duas pessoas foram presas na estação Barueri da CPTM pela venda clandestina de passagens. Os golpistas foram flagrados por agentes da São Paulo Transporte (SPTrans) que atuam no combate a fraude.

COMO SOLICITAR

Para ter um cartão com maior capacidade de crédito, os passageiros deverão solicitar gratuitamente um cartão personalizado, pelo site  e retirá-lo no posto da SPTrans de sua preferência. A relação de postos está disponível neste link.

Bilhetes de modelos novos personalizados continuarão tendo limite de R$ 350,00 para créditos comuns.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.

Mais conteúdo sobre:

Blitz EstadãoFraudeBilhete Único