A Bahia aparece mais uma vez na avenida em homenagem da Imperatriz Leopoldinense a Jorge Amado

Estadão

20 Fevereiro 2012 | 00h12

Com enredo sobre Jorge Amado, a Imperatriz Leopoldinense deve levar histórias famosas como ‘Capitães de Areia’ e ‘Gabriela, Cravo e Canela’ para a Marquês de Sapucaí. Dois carros alegóricos da escola tiveram problemas de posicionamento na fila de espera de entrada na Sapucaí. São eles: o carro da Lavagem da Escadaria da Igreja do Senhor do Bonfim e o carro que representa o País do Carnaval.

Acompanhe o samba-enredo da escola:

Jorge, amado Jorge
Autores: Jeferson Lima, Ribamar, Alexandre D`Mendes, Cristovão Luiz e Tuninho Professor
Intérprete: Dominguinhos do Estácio

Ave, bahia sagrada!
Abençoada por oxalá!
O mar, beijando a esperança,
Descansa nos braços de iemanjá.
Menino amado…
Destino bordado de inspiração.
Iluminado…
Vestiu palavras de fascinação.

Olha o acarajé! Quem vai querer?
Temperado no axé e dendê.
Quem tem fé vai a pé… Vai, sim!
Abrir caminhos na lavagem do bonfim.

No rio…o vento soprou
As letras em liberdade.
Joga a rede, pescador!
O povo tem sede de felicidade.
A brisa a embalar
Histórias que falam de amor.
Memórias sob o lume do luar.
O doce perfume da flor.
Ê bahia! Ê bahia!
Dos santos, encantos, magia.
Kaô kabesilê! Ora iê iê oxum!
Tem festa no pelô.
Na ladeira, capoeira mata um.

Sou imperatriz! Sou emoção!
Meu coração quer festejar!
Ao mestre escritor, um canto de amor.
Jorge amado, saravá!