Prefeito do Rio faz provocação à escola de samba Beija-Flor

Estadão

20 Fevereiro 2012 | 22h56

Luciana Nunes Leal/RIO

Prefeito do Rio, Eduardo Paes, durante desfile da São Clemente – Foto: Marcos de Paula/AE

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, fez uma provocação à escola de samba Beija-Flor de Nilópolis, uma das mais ricas do Grupo Especial, ao elogiar o desempenho da São Clemente, uma agremiaçao menor que abriu o segundo dia de desfiles do Rio.

A São Clemente mostra “como os recursos a disposição das escolas de samba permitem um grande carnaval. A São Clemente está fazendo um carnaval que é para deixar a Beija-Flor com vergonha”, afirmou o prefeito.

Segundio Paes, o subsídio da Prefeitura para as escolas, desde que bem administrado, é suficiente para um bom desfile. “A São Clemente mostra como dá para fazer muita coisa com o que a gente tem disponibilizado para as escolas de samba. Acho que ontem (primeiro dia de desfiles no Rio) deu disparado Portela e Vila Isabel. O carnaval não pode ser a evolução de uma tropa marchando, a emoção tem que contar”, disse o prefeito, deportando uma crítica comum ao excesso de técnica dos desfiles da Beija-flor.

A escola de Nilópolis desfilou ontem com um enredo em homenagem aos 400 anos de São Luis, e, só do governo do Maranhão, recebeu R$ 2 milhões.

Eduardo Paes defendeu também “transparencia e profissionalismo” na administração dos recursos das escolas de samba.