Foliões comemoram carnaval do Rio nos blocos Sassaricando e Cordão do Boitatá

Estadão

10 Fevereiro 2013 | 11h20

carnaval_marcosdepaulaestadao.JPG

Foto: Marcos de Paula/ Estadão

Sergio Torres e Vinícius Neder, Rio – Foliões lotaram desde o início da manhã a Praça 15, no Centro do Rio, ao som do bloco Sassaricando, em sua primeira apresentação no local, e do Cordão do Boitatá, já tradicional no carnaval carioca. A Riotur, empresa municipal de turismo do Rio, calculou em 30 mil o número de foliões na Praça 15.

A apresentação começou com o Sassaricando, por volta das 9h, com os cantores do bloco interpretando tradicionais marchinhas carnavalescas. O cantor e compositor Martinho da Vila, a cantora Teresa Cristina e o violonista Yamandu Costa foram convidados especiais da apresentação do Boitatá.

Formado em 1996 por músicos da cena instrumental do Rio, o Cordão do Boitatá fez seu primeiro desfile em 1997. Ano a ano, as marchinhas animadas por instrumentos de sopro começaram a atrair foliões em busca do carnaval mais tradicional.

A partir de meados da década passada, os desfiles começaram a atrair multidões e as ruas estreitas do Centro do Rio já não davam mais conta devido à superlotação. Desde então, o bloco passou a fazer shows parados na Praça 15 em seguida aos desfiles.

Neste ano, o Cordão do Boitatá mudou a programação. O desfile – chamado pelos integrantes do bloco de “cortejo” – foi no domingo passado, uma semana antes do carnaval. Ontem, houve apenas a apresentação na Praça 15, num baile de carnaval ao ar livre promovido pelo bloco.

Também de manhã, o bloco Bangalafumenga, outro tradicional do Rio, reuniu 40 mil pessoas no Aterro do Flamengo, segundo a Riotur. O bloco nasceu em 1998 e foi ganhando espaço nos desfiles da Zona Sul, ao lado do ressurgimento do carnaval de rua do Rio.

Grande parte dos ritmistas é formada numa oficina ministrada pelo Bangalafumenga na Lapa, bairro na região central da capital fluminense. Na apresentação do bloco, que montou um palco nas pistas do Aterro, o cantor e compositor Milton Nascimento deu canja.

À tarde, é a vez de outro bloco tradicional: está marcado para as 16h o desfile do Simpatia é Quase Amor, na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, outro bloco tradicional do Rio. O Simpatia, como é conhecido, foi fundado no carnaval de 1985. A Riotur prevê que 80 mil foliões se espalharão pela orla.

Segundo o site da Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro (Sebastiana), o bloco deve seu nome a Esmeraldo Simpatia é Quase Amor, personagem do livro “Rua dos Artistas e Arredores”, do compositor Aldir Blanc.

(Atualizado às 16h14)

Mais conteúdo sobre:

Carnavalfantasias