Ainda dá tempo de viajar no carnaval – com ou sem folia

Estadão

03 de fevereiro de 2010 | 14h59

Quem não se programou com antecedência vai pagar mais caro, mas ainda consegue curtir os dias de folga – seja no meio da multidão ou com muito sossego.

COM FOLIA

Olinda

Com o tema Carnaval das Cores, a festa em Olinda segue o ritmo do frevo (e só do frevo). Não esqueça sua fantasia. A partir do fim da tarde, aproveite os shows gratuitos no Recife (distante 6 km). Passagens para o período não saem por menos de R$ 1 mil.

 Rio

Muito além da Marquês de Sapucaí, o Rio tem um carnaval de rua bem animado – um dos blocos mais tradicionais é o Cordão do Bola Preta, que desfila no centro. As outras regiões também têm sua parcela de folia. Informações: www.sebastiana.org.br.

Salvador

Ainda dá para comprar abadás: o Camaleão, do Chiclete com Banana, tem lugares na segunda (R$ 890) e na terça-feira (R$ 840). O Papa, de Cláudia Leitte, custa R$ 280. Já para ver Ivete Sangalo no bloco Coruja o folião desembolsa R$ 600. Compre nos sites: www.centraldocarnaval.com.br e www.festaseabadas.com.br.

Diamantina

As bandas Batcaverna e Batucada garantem 24 horas de som na cidade histórica mineira. O agito se concentra na Praça do Mercado, com shows gratuitos. Na área vip, abadás desde R$ 400 (feminino) e R$ 470 (masculino). Site: www.karnaval.com.br.

SEM FOLIA

Mangue Seco

A tranquilidade impera no cenário que inspirou Tieta, de Jorge Amado. As dunas pedem um passeio de buggy (R$ 60) até a praia, onde quiosques estendem redes para a clientela. O trajeto desde Salvador leva 4 horas. As passagens via Salvador e Aracaju estão disputadas, mas ainda há quartos nas pousadas. Na Fantasias do Agreste(www.pousadafantasiasdoagreste.com), o casal paga R$ 870 (4 noites).

Guaramiranga

Na 11.ª edição do Festival de Jazz e Blues, na cidade serrana do Ceará, destaques para o guitarrista americano Magic Slim (foto). Os ingressos variam de R$ 30 a R$ 50, mas apresentações gratuitas pipocam por toda a cidade. Site: www.jazzeblues.com.br.

Bento Gonçalves

No verão, a festa para colheita das uvas – a vindima – toma conta das vinícolas da cidade gaúcha. Na Salton (www.salton.com.br), o turista participa da colheita, esmaga a fruta com os pés e pode aproveitar uma refeição italiana – regada a vinho, claro. Por R$ 50.

Chapada Diamantina

Você vai dormir em cavernas, em casas de moradores de vilas pelo caminho, sem contato carnavalesco. Mas bem próximo à natureza, entre as trilhas do Parque Nacional, no interior da Bahia.Uma delas, de 12 km, leva à Cachoeira da Fumaça. Site: www.guialencois.com.br.

(O Estado de S. Paulo)

Mais conteúdo sobre:

Pelo Brasil