Menu de ritmos em Recife e Olinda

Estadão

11 de fevereiro de 2010 | 15h34

5968150-p

Pelas ladeiras de Olinda, a tradição dos bonecos gigantes se mantém. Acompanhar o ritmo do carnaval pernambucano é um desafio até para os foliões mais experientes. Entre Recife e Olinda, serão mais de mil atrações, com muito frevo, maracatu e também samba. Vários figurões do ritmo carioca vão estar presentes na folia do Recife: a apresentação de Zeca Pagodinho, na abertura da festa, na 6ª (12), às 22h, é uma das mais esperadas do Polo Multicultural, no Marco Zero, no Centro.

Antes dele, como é tradição há nove anos, Naná Vasconcelos abre as festividades, às 18h. Ele conduz 700 batuqueiros de 17 nações de maracatus pelo Centro até o Marco Zero. A capital tem quase 400 shows programados – entre eles, os de Dudu Nobre, Lenine, Elba Ramalho, Otto, Nação Zumbi e Cordel do Fogo Encantado.

Alceu Valença se apresenta na 3ª (16), à meia-noite, no Polo Multicultural. Em Olinda, onde mora, ele participa da abertura do carnaval, na 6ª (12), às 20h, no Polo Fortim do Queijo.

A festa nas duas cidades – separadas por menos de dez quilômetros – acontece nas ruas, tanto nas apresentações nos polos, quanto nos desfiles de blocos, como o gigante Galo da Madrugada, no Recife. A programação das vizinhas estará nos sites www.carnavaldorecife.com.br e www.carnaval.olinda.pe.gov.br.

A animação nas ladeiras de Olinda, ao som do frevo, se estende pelo dia inteiro. À noite, o melhor são os shows no Recife. Mas este ano Olinda quer manter os foliões por lá até mais tarde. Para isso, vai promover um encontro de históricos rivais do carnaval: os blocos Pitombeira e Elefante se juntam na 3ª (16), às 18h30, nos Quatro Cantos, em Amparo.

(O Estado de S. Paulo)

Mais conteúdo sobre:

Recife-Olinda