Salvador comemora 60 anos do trio elétrico e 25 de axé

Estadão

05 de fevereiro de 2010 | 16h10

No carnaval de 1950 em Salvador, os músicos Dodô e Osmar buscavam um jeito de divulgar seu novo som, tocado na guitarra baiana, instrumento ainda pouco conhecido do público. Dono de uma oficina mecânica, Osmar restaurou um Ford 1929, conhecido como ‘Fobica’, e pintou a lataria com bolas coloridas que lembravam confetes. Dodô instalou alto-falantes na bateria do carro. Os dois saíram tocando em cima do veículo em direção à Praça Castro Alves e levaram junto quem encontraram no caminho. Era o nascimento do trio elétrico.

Para comemorar os 60 anos da invenção que virou símbolo do carnaval de Salvador, os organizadores prepararam homenagens neste ano. A abertura da festa, quando o prefeito entrega a chave da cidade ao Rei Momo, será realizada em cima de um carro igual ao ‘Fobica’. Moraes Moreira, primeiro a cantar num trio elétrico e há dez anos afastado da folia baiana, lembrará sucessos que marcaram décadas num desfile sem cordas ou abadás. A programação do carnaval, para a qual são esperados cerca de 2 milhões de foliões, está no www.portaldocarnaval.ba.gov.br.

Outra aniversariante que será lembrada na festa é a axé music, que completa 25 anos em 2010. Para comemorar, artistas que ajudaram a criar o estilo, como Luiz Caldas, comandam trios independentes (abertos ao público) nos Circuitos Dodô (Barra/Ondina) e Osmar (Avenida). Por esses circuitos passam os famosos blocos de abadás. Seja como for, pagando muito ou quase nada, a animação em Salvador é garantida.

arte_mapas-p

(O Estado de S. Paulo)

Mais conteúdo sobre:

Salvador