mora na filosofia

mora na filosofia

Paulo Rosenbaum

22 Dezembro 2013 | 15h28

 
O diário do ‘filósofo do nazismo’

 

A tarde, foi numa tarde. Entrou furtivo para esconder o que

a floresta negra acaba  de regurgitar: o diário escuro.

O livro, mais um disfarce. Filósofo, professor, humanista, nazista.

Nem a cátedra pode proteger intelectuais que inspiraram totalitarismos.

Ninguém apaga o que se ensina

       Se “a linguagem é a morada do ser”

 não restaram casebres para as vítimas

do III Reich.

Assumir atrocidades é uma arte, ocultá-las, previsível.