A Paz em Shakespeare

Paulo Rosenbaum

12 Maio 2016 | 11h32

“Proclamai meu perdão para os soldados

Uniremos as rosas branca e rubra.

Que o céu sorria sobre essa união,

Depois de ter chorado a inimizade.

Curada a chaga, a paz é o nosso bem

Para quem a preservar, Deus diga ‘Amém’”.

 

Shakespeare in Ricardo III