Bolo Bem Brasil

Paulo Rosenbaum

30 Maio 2018 | 15h51

Brasil em Receita

O prato Bolo Bem Brasil Brasil é de sabor doce-amaro, elaborado com os seguintes ingredientes: uma federação patina dourada em banho-maria, lascas corporativas baseadas em vantagens indevidas, recheado com desvio de função do Estado e regado à creme embrulhê.

Modo de Preparar

Reservar urnas eletrônicas inauditáveis e levar ao forno. Encobrir tudo com papel mantega. Separar laranjas maduras com parentescos e espalha-las em uma forma especial por longas extensões territoriais. A carne deve ser padrão exportação e precisa repousar inerte no Planalto.

Esperar até que asse bem ao ar bem livre.

Levar ao micro-ondas, retirar e deixar descansar até fermentar. Se algum procurador estiver por perto, esqueça, ele costuma errar feio o ponto certo. Delate qualquer alteração de cor e verifique o prazo de validade apócrifo do Frigorífico goiano gravado no verso. Reservar abobrinhas frescas picadas recolhidas do sítio do ex-amigo do partido.

Retire do forno de micro-ondas, picar cebola e, sem chorar, verter leite derramado por cima até que a bandeira vermelha indexada sofra aumento. Esperar o bolo inflar sem crescimento e nunca reparti-lo, a não ser migalhas que você pode juntar em bolsa do tipo família.  O grosso pode ser cortado e dividido entre chegados nomeados para cargos de chefs vitalícios. Em seguida esfrie e unte com fina camada de óleo monopolizado. (importante checar se a usina escolhida tem ferrugem incomestível de Pasadena, pois a receita ficaria impagável) Desonere a farinha com economia criativa e um caminhão de vantagens gourmets. (há uma receita variante com massa podre alienada) Esperar para colocar fermento popular a gosto e tiras de tarifas mal assadas e bem esticadas. Amasse as batatas quentes e recheie com pato ao contribuinte. Ao jogar pimenta malagueta, cuidado com os olhos dos outros. Levar ao forno por tempo indeterminado, cuidando para não torrar. Retire e salpique com folhas de arruda brava para afastar olho gordo e manter o regime sem nenhuma oposição. Retire a constituição da cozinha e deixe-a como sempre fechada na sala ao lado, o vapor costuma deixa-la com odor desagradável. Finalmente verifique se a camada triplex está no lugar e flambe tudo com gás subsidiado até formar uma crosta caramelizada que na alta culinária chamamos “erosão de estado”. Enfie o dedo do meio — atenção para não meter a mão — e prove. O sabor é bem excêntrico.

A receita está pronta para ser saboreada.

Recomendações

Mesmo que algum desavisado libere, não eleja nenhum ingrediente que esteja condenado.

Ao servir para estrangeiros  avise que é “very typical” ou “bem típico” e que será preciso paciência com nosso ágil sistema legislativo pois para aprovar o prato já conta com duas medidas provisórias e 116 projetos de lei prontos, em fase final de um trâmite de alguns anos.

Se for apresentar a receita em cadeia nacional no horário gratuito mostre sempre o lado fresco do prato (costuma embolorar rápido)

Sem o carimbo de inspeção federal e os 38 impostos recolhidos o produto não poderá ser consumido.

Servir a cada 4 anos recomendando moderação e mastigar bem antes de cada garfada, pode ser de difícil deglutição.

O Ministério do Desabastecimento adverte, pode causar refluxo e dependência da segunda instância.

Fica eleito a comarca de Caracas no caso de insatisfação do consumidor com os insumos providos pelo BNDES. (se quiserem a receita você pode dizer que é segredo de Estado)