Vitalidade do livro 4 – Entrevista o pesquisador e editor Leonardo Senkman*

Paulo Rosenbaum

15 de julho de 2022 | 08h09

Vitalidade do livro 4 – Entrevista o pesquisador e editor Leonardo Senkman*

CN-  Como o coronavírus afetou a indústria do livro em Israel?

Leonardo Senkman – Em Israel, também, a pandemia afetou a indústria editorial. De acordo com pesquisa publicada pela Biblioteca Nacional de Israel, dois mil livros a menos foram lançados em 2020 (6.487 livros) em comparação com 2019 (8.225 livros). Curiosamente, no entanto, os livros de poesia superaram os livros de prosa originais pela primeira vez e a participação relativa de livros de prosa e poesia aumentou significativamente, compreendendo 28% de todos os livros publicados em 2020 em comparação com 22, % em 2019. O gênero editorial mais afetado pelo pandemia foi livros sobre estudos judaicos. Sem surpresa, houve um aumento de 73% nas vendas de e-books publicados em Israel.

CN- Há algum sinal de recuperação no campo dos leitores israelenses durante 2022?

LS – Sem dúvidas. Durante os meses de maio e junho deste ano, a entusiástica participação presencial do público leitor e dos empresários das editoras em duas tradicionais feiras do livro conseguiu deixar definitivamente para trás o medo da pandemia. O primeiro evento foi a 26ª Feira Internacional do Livro em Jerusalém durante uma semana em maio onde o escritor britânico Julian Barnes com o prestigioso Prêmio Jerusalém; Esta Feira Internacional atraiu um grande público para conhecer livros e revistas de inúmeras editoras de todo o mundo, inclusive da América Latina. A Feira foi acompanhada pelo Festival Internacional de Escritores que aconteceu no centro de arte de Mishkenot Sha’ananim de Jerusalém .

CN – Que impressões você teve desse evento internacional?

LS- Fiquei impressionado com um painel formado por dois intelectuais de classe mundial que foi transmitido presencialmente e nas redes sociais: Ou diálogo entre o filósofo ambientalista Prof. Peter Singer ( Austrália ) e o famoso best-seller e historiador Prof. Yuval Noah Harari Harari (Israel) foi um importante evento. O tema do debate foi sobre a responsabilidade humana para com os animais, a crescente pobreza dentro de uma ordem neoliberal e o crescente impacto da globalização no planeta.

Este evento faz parte da série especial “On the power of Responsability” (Sobre o poder da Responsabilidade) : que foi organizado em colaboração com a Konrad-Adenauer-Stiftung em Israel e se dedica a examinar as relações entre poder, Estado, economia e clima no século XXI. As três sessões da série foram criadas em resposta à nova realidade global ditada pela invasão da Ucrânia pelo exército russo e abordam o lugar do indivíduo na sociedade e seu compromisso com a comunidade e o meio ambiente.

O outro evento apreciado foi “A Semana do Livro Hebraico” , realizada em praças públicas de Tel Aviv e Jerusalém, decorreu em junho e foi também acompanhada por dezenas de atos musicais e recitais destinados a todo o tipo de públicos, adultos, crianças e famílias, com entrada gratuita.

A Semana do Livro Hebraico deste ano teve como tema “Deixe ir”, e contou com áreas de leitura compartilhada para pais e filhos. Além disso, 15 Feiras itinerantes circularam em localidades da periferia geográfica de Israel. Foi uma verdadeira festa do Povo do Livro para leitores dentro e fora de Israel!

*Dr. Leonardo Senkman , Pesquisador da Universidade Hebraica de Jerusalém , historiador e crítico literário , diretor da revista NOAH .

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.