Brasileiros vivem clima de apreensão

Edmundo Leite

02 de junho de 2002 | 07h20

Domingo, 02 de junho de 2002 – 07h20

Brasileiros vivem clima de apreensão

Ulsan – Após a contusão do capitão Émerson e com a falta ainda de um diagnóstico preciso, os jogadores do Brasil passaram a viver um clima de angústia e apreensão em Ulsan, menos de 24 horas antes da estréia na Copa do Mundo, contra a Turquia.

“Todo mundo está muito preocupado porque o Émerson é o nosso capitão”, comentou o goleiro Marcos, logo após o último treino, no Munsu Stadium. “Se ele não puder enfrentar a Turquia, será uma grande perda para o nosso time.”

Marcos não quis falar sobre eventuais substitutos de Émerson, deixando a responsabilidade, obviamente, para o técnico Luiz Felipe Scolaro. “Sei apenas que se alguém entrar em seu lugar, ele será um ótimo substituto”, ressaltou o goleiro.

Émerson pode ter sofrido uma luxação no ombro direito, segundo uma avaliação preliminar do médico José Luiz Runco.

Em um “rachão”, o volante brasileiro, que estava atuando como goleiro, machucou o ombro. Depois de alguns minutos sendo examinado no gramado, Émerson abandonou a brincadeira, sendo levado para o vestiário.

O jogador deixou o estádio com o braço imobilizado e não quis falar com a imprensa. Apenas negou que estivesse sentindo dores. Émerson seguiu para o hotel do Brasil, para onde Runco já havia se dirigido pouco antes.

Edmundo Leite

(texto originalmente publicado no site da Copa do Mundo de 2002 do Estadão)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.