Andando como um egípcio

Andando como um egípcio

Edmundo Leite

31 Janeiro 2011 | 14h52

Pau tá comendo no Egito. Várias explicações, análises e especulações vão  sendo feitas à medida que a tensão cresce com os protestos nas ruas do país. A possível queda do longevo ditador – cujo nome só sei sob consulta – , quem e que tipo de regime o substituiria  entraram na pauta do dia.

Apesar da gravidade e  peso histórico que o caso certamente terá, a única coisa que me vem à cabeça quando o assunto surge nas páginas, telas e conversas é a sensacional ‘Walk Like an Egyptian’,  hit de 1985 das moças do Bangles.

Deliciosamente alienada,  com aquele non sense que só as músicas pop podem ter, ‘Walk Like an Egyptian’, alcançou o topo das paradas em 1986  com suas citações a símbolos do Egito – pinturas nas paredes de tumbas, rio Nilo, crocodilos – uma batida extremamente dançante e um pegajoso arranjo assoviado no meio da música.

Além das suas qualidades musicais, ‘Walk Like an Egyptian’ foi  impulsionada pelo divertido vídeoclipe  que intercalava imagens das bonitas  moças da banda cantando e tocando com  roupas sensuais  a anônimos e  celebridades (Princesa Diana e Kadafi)   “andando como um egípcio”, com os braços e mãos posicionados como aquelas pinturas do antigo Egito.  Diversão pura.

Li por aí que a compositora escreveu a letra da canção após ver umas pessoas andando desajeitadas, tentando se equilibrar num barco.   Claro que as citações  são estereótipo puro. Dizem tanto sobre o país quanto aquela música do Tchan (“Essa é mistura do Brasil com Egito. Tem que ter charme pra dançar bonito…”).  Mas só  tolos e mal-humorados para exigir rigor histórico de música pop.