As aposentadorias de Little Richard e José Genoino

As aposentadorias de Little Richard e José Genoino

Edmundo Leite

06 Setembro 2013 | 19h01

 

Qual o momento certo de se aposentar? A pergunta com a qual todos se confrontarão um dia, seja no campo profissional ou em outras atividades às quais nos dedicamos durante uma vida, deve ter martelado a cabeça de duas personalidades diferentes recentemente. Um dos deuses do Olimpo do rock, Little Richard declarou à revista Rolling Stone que vai parar por causa de problemas de saúde. Após 65 anos de uma louca carreira, já interrompida por dois longos períodos para se dedicar à religião, o endiabrado Ricardinho, 81 anos, não tem mais fôlego para as antológicas performances que o consagraram nos anos 50.

Autor do urro Uah-bap-lup-bap-lah-bem-bum! da explosiva Tutti Frutti, Richard conseguiu superar a maldição reservada aos pretos, pobres e viados que como ele nasciam num pedaço do território americano dominado por racismo, elitismo e homofobia. Enfiou o rock goela abaixo da América branca e colocou o mundo para dançar ao som de Long Tall Sally, Lucille e outros clássicos da primeiro testamento do rock.

Os Beatles só faltaram lamber suas botas quando o astro esteve em Liverpool e Hamburgo antes do conjunto estourar. Um novato Jimmy Hendrix tocou em sua banda. Pervertido antes de Elvis, andrógino bem antes de Bowie, excêntrico muito antes de Michael Jackson, performático das teclas bem antes de Elton John, Little Richard deixou sua marca em cada um desses artistas e de muitos outros. “Há muito tempo atrás, na velha Bahia, eu imitava Little Richard e me contorcia. As pessoas se afastavam achavam que eu estava tendo um ataque de epilepsia”, cantou Raul Seixas numa música em que passava a sua trajetória roqueira a limpo.

A aposentadoria de Little Richards deveria ser daquelas em que o cara sai do escritório aplaudido de pé pelos colegas, mesmo que depois da festa baita a inevitável depressão de aposentado e Richard vá chorar sozinho em sua cadeira de balanço. Deveriam organizar um tributo de emergência para reverenciá-lo neste que parece ser o seu ocaso. O mundo lhe deve essa.

Nesta mesma semana da declaração de Little Richard o deputado José Genoino anunciou que solicitou à Câmara dos Deputados a sua aposentadoria por invalidez por causa de uma cardiopatia grave. Condenado pelo envolvimento no caso do mensalão, há algum tempo vem dando sinais de que não aguentará o tranco de um BO desse naipe. Suas últimas aparições revelam um homem triste e amargurado. Com 67 anos, contribuiu por 24 anos e seis dias com o sistema de previdência parlamentar. Como todos que tiveram parte de seus vencimentos descontados para garantir o pé de meia, que receba o que lhe é devido.