Carne de cachorro

Edmundo Leite

07 de julho de 2008 | 03h53

11.07.2008

Se alguém ainda acredita naquele papo de Olimpíadas como integração dos povos e culturas através do esporte, a decisão do governo chinês de proibir os restaurantes locais de servir pratos com carne de cachorro deu mais uma demonstração de que os ideais do Barão de Coubertin são coisas de um passado distante. Embora cobrar espírito olímpico de um país onde impera o autoritarismo possa até ser burrice, é difícil entender a decisão, adotada para “evitar conflitos”, nas palavras de uma autoridade chinesa. Leia a íntegra

Menu de restaurante na Coréia do Sul, em 2002, oferece carne de cachorro
Menu de restaurante na Coréia do Sul, em 2002, oferece carne de cachorro

A simpática coreana e as entradas: petiscos de carne canina na vasilha retangular
A simpática coreana e as entradas: petiscos de carne canina na vasilha retangular

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.