Edmílson contraria Felipão e marca golaço

Edmundo Leite

14 de junho de 2002 | 22h07

(Texto originalmente publicado  no Estadao.com.br em 14 de junho de 2002)

Edmundo Leite

Suwon, Coréia do Sul – O zagueiro Edmílson não escondia a satisfação após a goleada por 5 a 2 sobre a Costa Rica. De volta ao time titular apenas porque Roque Júnior, com um cartão amarelo,foi poupado, o jogador do Lyon marcou um dos gols mais bonitos da Copa e ainda fez o passe para o lateral Júnior, o outro reserva que se destacou, fechar a goleada. “Valeu pela oportunidade de ter feito esse gol, que eu acho que vai ficar para história do Mundial. E eu espero ajudar o Brasil a fazer mais gols”, disse o jogador, contrariando abertamente a cartilha de Felipão.

Desde de depois do jogo da estréia, contra a Turquia, o treinador vem reclamando do comportamento da defesa, dizendo querer em seu time “zagueiro, zagueiro, daqueles que dão chutão para o alto e não ficam tentando chegar mais à frente”. Edmílson, o mais criticado, acabou sendo substituído por Anderson Polga já no segundo jogo,contra a China, o que ele considera uma situação injusta. “Infelizmente as coisas não acontecem comoa gente quer. Eu penso que a minha atuação contra a Turquia não foi comprometedora. Procurei dar o máximo, mas errei dois passes no começo que acabaram sendo prejudiciais paramim.”

Edmílson acredita não estar desobedecendoFelipão quando parte para frente em busca do gol. “Esse é o meu jogo e fui convocado por causa desse meu estilo. Se tiver que dar chutão eu vou dar, mas quando der para sair eu vou em busca do gol também”.

Mesmo contrariando a vontade de Felipão, o jogador está confiante de que a boa atuação, e principalmente, o belo gol o conduzam de volta à equipe titular. “Eu procurei dar o meu melhor para a equipe e espero contar com a confiança do treinador continuar jogando, mas o time demonstrou hoje que não é só 11. São 23 que estãoaí paradar força para a seleção”.

Sobre o belo gol, Edmílson procurou também exaltaro início da jogada e não apenas a finalização, quase de bicicleta. “Acho que a jogada em si foi bonita. Eu toqueipro Rivaldo, fui para a área pegar uma bola que viesse no primeiro pau e acabou desviando no zagueiro. A primeira coisa que eu pensei era puxar a bola para dentro do gol e graças a Deus tive a sorte de conseguir”.

Ao contrário dos demais jogadores, unânimes em dizer que não tem preferência por adversário na próxima fase, Edmílsonadmitiu que prefere enfrentar a Bélgica ao Japão. “Não gostara de enfrentar o Japão porque a gente quer a torcida do nosso lado. Jogar as oitavas no Japão, contra o Japão,é complicado”.

# Copa de 2002 – Coréia do Sul/Japão

Tendências: