Massacre no bulevar Voltaire evoca ‘Tratado sobre a Tolerância’

Massacre no bulevar Voltaire evoca ‘Tratado sobre a Tolerância’

Edmundo Leite

14 Novembro 2015 | 01h28

Sexta-feira à noite, Paris é uma festa. Até que um bar, um restaurante, um estádio de futebol, um show de rock numa das mais tradicionais casa de espetáculos da capital francesa são atacados por terroristas armados. A contagem de mortos vai pra mais de 100 só em um dos locais, o centenário Bataclan. Uma vida é uma vida em qualquer lugar. E todo ataque ataque terrorista é covarde. Seja contra um igreja, uma escola, um jornal, um banco, uma universidade… Mas atacar covardemente lugares onde as pessoas que querem viver a vida vão para tentar amenizar um pouco das dificuldades da vida diz muito mais sobre a índole de seus autores.

Um dos símbolos da diversão parisiense, o Bataclan fica no bulevar Voltaire,  a via que leva o nome do filósofo francês que no fundamental Tratado Sobre a Tolerância questionou, entre outras coisas, até que ponto os tolerantes devemos tolerar os intolerantes. Mais uma vez na história, a França terá que saber como vai lidar para conciliar seus filósofos com seus generais.

Bataclan – Boulevard Voltaire

bataclan-paris

Restaurante Le Carillon

lecarillon-paris

Restaurante Le Petit Cambodge

le-petit-cambodje

Stade de France

stade-de-france-paris