MTV chegou numa manhã de sábado e mudou nossas vidas

MTV chegou numa manhã de sábado e mudou nossas vidas

Edmundo Leite

30 Setembro 2013 | 22h38

O que você estava fazendo na manhã de sábado de 20 de outubro de 1990? Muita gente talvez não se lembre, mas alguns estavam brigando com alguém da família para tomar posse da televisão – naquela época só havia um aparelho nas casas – e se engalfinhando com antenas de metal e conversores, acoplando plugues e cabos no vídeo-cassete, rodando botõezinhos para encontrar a sintonia correta daquela que seria a maior novidade para uma geração sedenta de música pop. Sintonizar o canal não era coisa simples, como mostram as instruções publicadas no Estadão no dia da estréia da emissora.

Neste dia em que a MTV deixa a grade de canais abertos e migra para a TV paga, muita gente cospe no prato em que comeu e se fartou. Com a diversidade disponível atualmente é fácil esquecer e ser ingrato. Mas quando a MTV chegou por aqui foi um alento para uma geração privada de ver e escutar seus maiores ídolos na TV. Até então, para ver alguma coisa de música pop tínhamos alguns poucos programas semanais, como o Som Pop, com o Kid Vinil, na TV Cultura, e o Realce, com Mister Sam, na Gazeta. Na Globo, só o Fantástico passava algo, geralmente um único clip de alguma música que estava sendo lançada.

A partir daquele sábado, tudo mudou. Para melhor.