Rivaldo, mais uma vez um gol salvador

Edmundo Leite

21 de junho de 2002 | 22h35

(Texto originalmente publicado no Estadao.com.br em 21 de junho de 2002)


Edmundo Leite


Shizuoka, Japão – Mais uma vez, Rivaldo marcou um gol fundamental para a seleção brasileira. Com o Brasil perdendo por 1 a 0 e a partida já nos descontos, o atacante aproveitou com perfeição o passe de Ronaldinho Gaúcho para igualar o placar e dar mais tranquilidade para o time no segundo tempo. “É bom ser o destaque do jogo, e tem um sabor especial por ser de virada”.


Mesmo sabendo da importância de seu gol, Rivaldo procurou não exaltar a própria atuação, mas sim o comportamento do grupo. “Foi um gol importante, mas o principal é que ajudou pois deu tranquilidade para chegar ao segundo tempo com empate”.


O jogador do Barcelona diz que o Brasil poderia ter feito até mais, não fosse o cartão vermelho tomado por Ronaldinho Gaúcho logo aos 12 minutos do segundo tempo – pouco depois de ter marcado o segundo gol brasileiro. “Ficou um pouco difícil, mas o Felipão conseguiu que a gente colocasse a cabeça no lugar. O banco também ajudou, dando incentivo, todo mundo ajudou e aí conseguimos nos recuperar”.


Rivaldo negou que o time tenha se acomodado no segundo tempo e não tenha buscado ampliar, por estar satisfeito com o 2 a 1. “É Impossível fazer outro gol com um a menos. É claro que se tivesse uma oportunidade faria mai um gol, mas não teve porque a gente, com um a menos, estava preocupado em se proteger e no atacar”.


O duelo com David Beckham foi minimizado por Rivaldo. “Eu ganhei, o Brasil ganhou da Inglaterra e não só de um jogador”.