Ronaldo pode quebrar tabu de 28 anos

Edmundo Leite

20 de junho de 2002 | 22h28

(Texto originalmente publicado no Estadao.com.br em 20 de junho de 2002)


Edmundo Leite


Hamamatsu, Japão O atacante Ronaldo vive repetindo que não se preocupa em ser artilheiro da Copa do Mundo e que está apenas empenhado em ajudar a seleção na conquista do pentacampeonato. Mas com os cinco gols que já marcou nesse mundial – divide a artilharia com o alemão Klose – ele pode também a ajudar a melhorar as estastísticas da competição. Isso porque já faz 28 anos que um jogador não consegue marcar mais de seis gols em Copa do Mundo.


O último a conseguir superar essa marca foi o polonês Grzegorz Lato, que em 1974, na Alemanha, conseguiu chegar sete vezes à rede adversária. Seu derradeiro gol foi contra o Brasil, na disputa do terceiro lugar, da qual os poloneses saíram vitoriosos por 1 a 0. Deste então, todos os artilheiros dos mundiais seguintes terminaram com seis gols.


“Eu e o Rivaldo já conversamos sobre isso e não vamos nos preocuparar em ser artilheiro”, diz o jogador da Inter de Milão, sobre o companheiro de ataque, que tem um gol a menos que ele nessa Copa do Mundo. Se o Brasil passar pela Inglaterra, Ronaldo terá ainda dois jogos para tentar alcançar ou superar a “barreira dos seis”. Isso se ele não marcar contra os ingleses, já que a “promessa” feita ao técnico Felipão era de fazer um gol a cada jogo.


Para o jogo desta sexta-feira, Ronaldo diz que o Brasil não deve se preocupar com a Inglaterra, mas sim com o seu próprio futebol. “Temos que aproveitar as oportunidades da melhor maneira possível”, diz. “Os ingleses são muito fortes e tem muita pegada, mas se jogarmos o nosso futebol temos condições de superá-los”.

Tendências: