As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alunos falam sobre o prêmio Jovem Jornalista

Participantes da 12ª semana Estado contam o que acharam do tema ‘Redes em Prol da Sociedade’

Redação

26 Outubro 2017 | 22h03

Por Mariana Agatti

Junto com a Semana Estado de Jornalismo, é promovido o Prêmio Santander Jovem Jornalista. Após o evento, os alunos podem produzir uma matéria com base em tema divulgado no primeiro dia da programação. A melhor reportagem será publicada no Estado impresso e digital, e o autor irá ganhar um laptop e um semestre de estudos com todas as despesas pagas na Universidade de Navarra, na Espanha. Os seis finalistas têm as matérias publicadas

O tema deste ano foi ‘Redes em prol da sociedade’. Durante o terceiro dia de evento, perguntamos para os alunos o que eles acharam da escolha e como pretendem desenvolver as suas pautas.

“Com certeza vou fazer a reportagem e ainda tenho fé que vou ficar entre as seis. Nem preciso chegar em primeiro, mas se eu ficar entre as seis vou ficar muito feliz. Já tenho tema e já estou estudando”, contou Maria Clarke, estudante da Universidade de Sorocaba. Maria tem 48 anos e é a aluna mais velha da Semana Estado. “Mas tenho o espírito super jovem”, brinca.

 

Gabriela Moscardini, da Universidade Federal Fluminense (UFF), achou o tema desafiador. “Achei bom, é atual. É sempre um desafio quando a gente recebe uma coisa muito ampla. A gente tem a oportunidade de abordar vários aspectos.” Mateus Machado, seu colega de UFF, também destacou a amplitude do tema. “Eu achei legal porque qualquer pessoa pode fazer, sendo do Rio de Janeiro ou de São Paulo. Eu sou de Itaboraí e gostaria de fazer uma pauta sobre alguma coisa de lá.”

 

Vinicius Barros e Manuela Cavalcanti, da Universidade Católica de Pernambuco, se animaram com a perspectiva de adotar uma abordagem social para o tema. “Você pode falar de grupos comunitários, ONGs, atender as condições de cada um”, disse Vinicius. Manuela concordou. “Realmente é um tema acessível para todo mundo. Você pode ir para várias áreas, de tecnologias a instituições. Sem falar que é um tema muito atual e muito social, e é incrível poder dar voz a outras pessoas.”

 

Renan Sousa, da Faculdade São Judas, acredita que trabalhar essa pauta vai fazer os alunos saírem da zona de conforto. “Achei muito legal a escolha do tema porque é uma situação que nós estamos vivenciando: viver em rede. O jovem está infiltrado em bolhas”, opinou. “Nós vivemos em nosso próprio mundo e não estamos disposto a sair dessa bolha. Esse tema vai fazer com que a gente busque interatividade com outro tipo de rede.” Ele já está apurando a matéria. “Estou animado e confiante no projeto que estou desenvolvendo.”