As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A cobertura jornalística dos esportes olímpicos

“O espaço prioritário nos jornais é para o futebol. Então, é uma cobertura que te demanda muito estudo. Você tem de ter persistência”, disse Amanda Romanelli, na Semana Estado.

Redação

25 Outubro 2013 | 18h26

Por Celso Filho

 Os grandes eventos esportivos que serão sediados no Brasil vão requerer um preparo a mais dos jornalistas. A repórter do Estadão Amanda Romanelli disse em entrevista antes da palestra para a Semana Estado que o diferencial da cobertura estará nos profissionais que acrescentarão à notícia informações que não são de conhecimento do público geral, como comparações históricas de resultados e a trajetória de atletas.

 

Segundo Amanda o jornalista, especialmente na cobertura do esporte olímpico, deve estar preparado para conhecer não somente as regras das modalidades, mas outros fatores, como o histórico de recordes e os atletas que foram destaque. “O espaço prioritário nos jornais é para o futebol. Então, é uma cobertura que te demanda muito estudo. Você tem de ter persistência”, conta.

 

Amanda Romanelli é repórter de Esportes no jornal O Estado de S. Paulo desde 2005, quando se formou em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Ela já participou de coberturas especiais nos Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007, e de Guadalajara, em 2011, além da Olimpíada de Londres de 2012. A jornalista também mantem o blog Na pista e no campo sobre esportes.

 

Mais conteúdo sobre:

Semana Estado de Jornalismo