As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As outras horas do meu dia

Redação

05 Outubro 2011 | 20h00

Outubro será um mês complicado. O ritmo do curso começa a acelerar, nos dando uma boa ideia do que está por vir: temos um caderno para fechar em dezembro. Entre as aulas com o queridinho Paco Sánchez, as intermináveis pautas para apurar e os plantões que quero acompanhar nas redações, ainda tenho que encontrar tempo para assistir minhas queridas 14 séries que acabam de reestreiar na TV americana – e britânica.

Não. Abrir mão das séries não é uma opção. Seria a atitude mais sensata, mas eu perderia metade do meu bom humor e das minhas valiosas horas de procrastinação. Se para uma boa formação cultural é importante ler, ir ao cinema e ao teatro, televisão de qualidade é mais um item nesta lista.

É verdade, algumas das séries que assisto são puro guilty pleasure e outras já tiveram temporadas melhores. Mas existem aquelas que te fazem idolatrar os roteiristas, admirar atores e se surpreender com escolhas narrativas.

Escolhi três das minhas séries preferidas pra indicar – uma pra cada gosto. Não que isso vá fazer alguma diferença na formação de ninguém, mas com certeza renderá bons tópicos para conversar de bar – as vezes é bacana variar  o papo sobre o futebol sabe?

Parks and Recreation, da NBC (http://www.youtube.com/watch?v=jcyH-qIPKMA)

Apesar de já estar na 4ª temporada, a comédia que mostra os bastidores de uma repartição pública em uma cidade do interior dos EUA, é mais engraçada a cada ano. O grande mérito da série é fazer personagens tão hilários quanto reais. Todo mundo é meio exagerado mas ninguém sai do tom. Conseguir esse equilíbrio entre o bobo e o supercool é uma arte que não é para qualquer um. Anotem aí: ela ainda irá conquistar o posto que hoje é de Modern Family.

Breaking Bad, da AMC (http://www.youtube.com/watch?v=2LOzMtI6RCM)

Walter White é um professor de química, seu filho adolescente tem paralisia cerebral, sua mulher está grávida e como o salário não é o suficiente, Walter trabalha em um lava rápido. Para aumentar a renda, o professor decide fabricar e vender metanfetamina. Com linguagem inovadora, ângulos de câmera geniais e desenvolvimento lento, somos levados em uma narrativa de bons diálogos, atuações impecáveis e situações inesperadas.

O que você está fazendo que ainda não vê Breaking Bad?

Sherlock, da BBC (http://www.youtube.com/watch?v=cSQq_bC5kIw)

O famoso morador da 211B Baker Street ganha releitura moderna e um roteiro impecável de Steven Moffat, o maior gênio da TV inglesa (assistam tudo que tiver a assinatura dele). Em uma série madura, com acidez típica inglesa, o exelente Benedict Cumberbatch da vida ao jovem detetive impetuoso, arrogante e imperfeito, assim como a criação original de Arthur Conan Doyle. Muito melhor que outras versões cinematográficas, a série só tem três episódios, cada um de 1h30; e a próxima temporada está prometida para este ano.

PS. Não é seriado, é jornal. Mas se eu fosse obrigada, trocava todas as séries que assisto pelo The Daily Show with Jon Stewart, programa obrigatório no meu dia.

Cecília Cussioli, de 22 anos, é formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)