As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bastidores: ‘Prefeitura admite risco de alagamentos no verão’

Redação

21 de dezembro de 2010 | 16h52

Definido o tema “Subterrâneos” como o mote do nosso suplemento, as ideias foram surgindo pela sala. Eu, Ramon, fui incumbido de pesquisar sobre enchentes na companhia do foca que sentou ao meu lado ao longo de todo o curso, Ricardo Santos. Nos últimos três meses, fui o foca 26 e ele, o 27. O papo que segue é um making of da nossa matéria, Prefeitura admite risco de alagamentos no verão, publicada na página 6 do caderno publicado no sábado, 11.

Ramon: Temos quase cinco horas gravadas de entrevistas, conversamos com dois acadêmicos, duas autoridades municipais e escrevemos mais de seis laudas de texto até termos a versão que foi publicada. Qual a sensação de ver o texto impresso?

Ricardo: Só consigo lembrar do que o Paco Sanchez falava: um bom repórter conta 10% do que sabe. É inevitável essa sensação de frustração por não conseguir contar mais sobre o tema no caderno num espaço que, quando bati o olho pela primeira vez, achei pequeno.

Ramon: Acho saudável a sensação de frustração. Vamos sempre querer mais espaço. Tínhamos muita informação e nossa ideia era escrever uma matéria propositiva sobre o sistema de drenagem da cidade. Só mais tarde percebemos a necessidade do texto ser mais prático…

Ricardo: Por isso tivemos de inverter toda a matéria. A Carla (Miranda, editora do suplemento) pediu pra contextualizar e abrir o texto com os investimentos da Prefeitura, citar locais que inundaram no começo do ano, expor falhas, e só aí entrar na discussão dos nossos entrevistados.

Ramon: Nosso trabalho foi de administrar informações. Foi como montar um quebra-cabeça. Todas as peças estavam lá e foi só colocar cada informação no lugar certo. Perdemos alguns parágrafos na edição, mas o essencial foi publicado. Ainda conseguimos aproveitar muitas das nossas informações para o infográfico do caderno. Estou feliz com o resultado final.

Ricardo: Eu também. No espaço que tivemos, conseguimos passar bastante coisa. Como nos disseram em algumas palestras, citando o Cláudio Abramo, o jornalismo deve desperdiçar. A edição deve selecionar o que for de maior interesse ao leitor, e acho que isso foi feito com sucesso.

Ramon Vitral, de 24 anos, é formado em Jornalismo pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF)

Ricardo Santos, de 22 anos, cursa o último semestre de Jornalismo na Universidade de São Paulo (USP)

Tudo o que sabemos sobre:

Ramon VitralRicardo Santos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: