Emanuel Bonfim: ‘Qualquer um pode fazer um podcast’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Emanuel Bonfim: ‘Qualquer um pode fazer um podcast’

O jornalista falou sobre a forma de consumir conteúdo de áudio que tem conquistado os ouvintes e o mercado publicitário

Redação

28 Setembro 2018 | 19h30

Editor de multimídia do Estado, Emanuel Bomfim foi um dos palestrantes da Semana Estado de Jornalismo (Matheus Nobre)

Por Matheus Nobre

O consumo de podcasts é cada vez maior no Brasil. Emanuel Bonfim, editor Multimídia do Estado, revela que o crescimento da plataforma do Estado está ganhando cada vez mais público: ”Estamos crescendo absurdamente a cada mês. Acabei de ver aqui que batemos recorde em setembro de 300 mil downloads nos podcasts desse mês”, revelou.

Um reflexo desse crescimento é o movimento dos patrocinadores para o mercado de podcasts. Emanuel diz que aos poucos, o mercado começa a enxergar os podcasts através do número de downloads e consegue observar uma mudança no comportamento do ouvinte. “Estamos começando a entender os modelos publicitários, como eles podem se encaixar num formato podcast. A lógica do podcast é bem diferente do rádio”, analisou. Bonfim afirma que o meio rádio é o que está crescendo mais, frente ao impresso e absorvendo mais receitas do mercado publicitário.

O jornalista acredita que o podcast oferece mais liberdade de produção em relação ao rádio. Para ele, no rádio é necessário se adaptar a formatos pré-estabelecidos, devido à lógica da programação. O podcast, por outro lado, é justamente o contrário. Ele diz que os jornalistas têm que se aproveitar desse tipo de liberdade editorial, que pode mexer com linguagem, tamanhos. Bonfim também faz um alerta para o uso dessa liberdade, que deve ser acompanhada da responsabilidade do jornalista de se comunicar com um grande público.

A principal característica para quem quer fazer podcasts é ser um bom contador de histórias, segundo Bonfim. Para ele, em muitas das vezes é preciso ser um bom roteirista para realizar a tarefa com sucesso. Recomenda-se apegar muito a narrativa e se atentar para a maneira com que o jornalista vai contar aquilo que deseja. Questionado sobre quem deve fazer podscasts, Bonfim é enfático: “Qualquer pessoa está apta a fazer podcast”.

O Estadão Notícias foi o pontapé inicial do Estado para firmar seu posicionamento na área de podcasts. Ele foi criado com base em referências internacionais, nos moldes do The Daily, do The New York Times, e o Up First, da NPR. De acordo com Bonfim, as produções americanas fazem uma reportagem mais narrativa, com uma condução quase permeada por sonoras.

O jornalista viu que não daria para fazer o mesmo formato, portanto encontraram uma outra forma de consolidar o podcast de 20 minutos. “A gente faz um modelo mais radiofônico, como se fosse um jornal de rádio condensado, de perfil analítico. Essa é a nossa diferenciação”, analisou.

Bonfim revelou ao blog algumas novidades para o mês de outubro. Na próxima semana, dois podcasts serão lançados na plataforma do Estado. “Um é o ‘Por Aí’, que vai trazer dicas de restaurantes da Patrícia Ferraz, editora do Paladar. Ela já faz esse boletim na Rádio Eldorado, e vamos distribuir em formato podcast”, contou. Já o segundo produto será tocado pela editoria de economia e terá um formato específico para podcasts. “Vai se chamar Seu Bolso. O podcast terá entrevistas com especialistas, análises de mercado, investimentos e dicas financeiras, explicou o jornalista.