Inovação é chave, diz Adriana Garcia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Inovação é chave, diz Adriana Garcia

De diretora de redação a consultora de mídias digitais, Adriana Garcia fala sobre as mudanças no mercado de comunicação

Carla Miranda

22 de outubro de 2014 | 18h35

Um ano no coração do Vale do Silício deu nova perspectiva profissional à jornalista brasileira Adriana Garcia. Após a temporada na Universidade de Stanford, na Califórnia, entre 2012 e 2013, ela adotou o senso de empreendedorismo que tanto se vê nas startups americanas e criou a Orbitalab, uma consultoria de mídias digitais. No segundo dia da Semana Estado de Jornalismo, Adriana deu dicas e recomendações aos que estão começando agora na profissão. “Experimentem.”

Com a crise dos jornais e redações cada vez mais enxutas, a saída pode estar na inovação, na opinião dela. “Os jovens jornalistas devem pensar em projetos informacionais que atendem às necessidades de grupos. Criar produtos sempre pensando no público e não em si mesmos.”

Adriana, que trabalhou em veículos tradicionais como Veja e Folha de S. Paulo, diz que os jornalistas também precisam se livrar da ideia de concorrência clássica entre os meios. “É preciso ser colaborativo, em vez de competitivo.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: