Nos bastidores da premiada reportagem Família Imperial – Uma nova História
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Nos bastidores da premiada reportagem Família Imperial – Uma nova História

Redação

23 Outubro 2013 | 17h29

Luiz Fernando Toledo

O jornalista Edison Veiga, de 29 anos, é um dos palestrantes do segundo bloco da Semana Estado de Jornalismo. Ele e o repórter Vitor Hugo Brandalise são autores da reportagem Família Imperial – Uma Nova História, trabalho de mais de três anos de apuração com base em exames de restos mortais de Dom Pedro I, primeiro imperador do País. O material rendeu à dupla o Prêmio Petrobrás de Jornalismo deste ano, na categoria Portal de Notícias, já que foi publicado antes no site, com infográficos e vídeos, e depois no jornal impresso, ato inédito na história do ‘Estado’. Brandalise estará na cerimônia de premiação, que ocorre hoje no Rio de Janeiro, e não pode comparecer ao evento.

Profissionais preparam a abertura do caixão de Dom Pedro I

Profissionais preparam a abertura do caixão de Dom Pedro I / Foto: Victor Hugo Mori

Em sua palestra, Veiga trata do tema “o repórter multimídia”. “Família Imperial” mobilizou profissionais de diversos setores da redação do Estado, de infográficos à TV, que editou horas de gravação disponibilizadas pela pesquisadora. O material foi divulgado no dia 19 de fevereiro pelo Portal Estadão e teve mais de 10 mil compartilhamentos no Facebook. “A repercussão foi tão grande que descobrimos até um jornal chinês falando da matéria”, contou o repórter.

Embora jovem, Veiga diz que a tecnologia tem se transformado tão rápido que já não é a mesma de quando ele se formou. “Ninguém tinha câmera digital e poucas pessoas usavam celular”, lembra. “Não existe mais divisão entre o papel e o digital”, afirmou. Para ele, que dizia se considerar um jornalista “de impresso”, a profissão forjou um lado multimídia que o repórter nao esperava. “Acredito que seja uma exigência da natureza dos nossos tempos”, aponta.