As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Luis Fernando Bovo sugere mudança no currículo das faculdades

Carla Miranda

22 Outubro 2014 | 19h24

Por Guilherme Mattar e Isabel Filgueiras 

 

Apressado e motivado pelo que descreveu como “um dia de universidade”, o editor-executivo do portal do Estado, Luis Fernando Bovo, descreveu o site redesenhado do jornal como “um filho”. Antes de se apresentar na Semana Estado de Jornalismo, nesta terça-feira (22), o jornalista comentou o perfil que comunicadores recém-formados devem ter em tempos de tecnologia onipresente.

 

O que o mercado exige ainda é muito diferente do que a universidade dá aos estudantes. Eles aprendem um conteúdo defasado”, afirmou Bovo.

 

De acordo com o editor-executivo, embora dominem os gadgets eletrônicos para fins de entretenimento, jovens jornalistas têm de saber incorporar o conhecimento à profissão.

 

Ele também disse que a melhor forma de um recém-formado entender a demanda do mercado é participar de eventos como a Semana Estado. “Entrar em contato com profissionais atuantes dá uma dimensão do que é preciso para se destacar”, disse.

 

Parceira na rodada de discussões do segundo dia do evento, a diretora de redação do periódico Zero Hora, Marta Gleich complementou a linha de pensamento de Bovo.

 

Saber jornalismo é uma coisa. Usar tecnologia é outra. Mas essa geração tem uma vantagem: se adaptam mais fácil, são mais preparados para se expressar por muitas plataformas”, ponderou a jornalista.