‘O Brasil ainda não descobriu o vídeo’, diz cineasta Tadeu Jungle
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘O Brasil ainda não descobriu o vídeo’, diz cineasta Tadeu Jungle

Carla Miranda

18 Outubro 2016 | 18h53

 

20161018_181250

Palestrante da Semana Estado, cineasta Tadeu Jungle

Por Alline Magalhães

 

Palestrante da Semana Estado de Jornalismo, que acontece entre 18 e 21 de outubro, o cineasta Tadeu Jungle acredita que o jornalismo de vídeo, fora da televisão, ainda não descobriu o seu formato ideal e, por isso, não está definido no Brasil. 

“Eu acho que o jornalismo tem uma tendência de se tornar audiovisual no mundo todo porque a juventude que vem não tem mais tanto tempo. O acesso do vídeo, e isso está comprovado, cresce vertiginosamente todo o ano”, disse Jungle.  

Para o cineasta,  que conversou com estudantes sobre a cobertura do desastre de Mariana, os grandes jornais do país, equivocadamente, acreditam que o formato de vídeo seja caro, quando, na verdade, não precisa ser. “Com um telefone você faz um filme e, com um computador qualquer, você edita esse filme. Uma pessoa pode fazer tudo”, acrescenta.  

O palestrante ainda comentou que as ideias que os jornalistas fazem dos vídeos são muito tradicionais, porém, os vídeos do jornal para a internet têm que ser diferentes. “Se não, vira matéria mal feita de televisão”, diz Jungle. “Quem sabe fazer televisão é a televisão.”