“O silêncio não pode ser uma opção”, diz Priscila Hernandez, da ONG Connectas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“O silêncio não pode ser uma opção”, diz Priscila Hernandez, da ONG Connectas

Jornalista mexicana que representa iniciativas de direitos humanos falou sobre a atuação da Connectas na América Latina.

Redação

27 Setembro 2018 | 15h52

Por Guilherme Coura

Priscila Hernandez, representante da organização não governamental Connectas, falou em palestra na Semana Estado de Jornalismo sobre a atuação da ONG na garantia dos direitos humanos, e a importância da colaboração no ofício jornalístico.

Priscila Hernandez, jornalista representante da ONG Conectas.

A ONG surgiu em 2013 para conectar pessoas e organizações, fornecendo cooperação e apoio logístico entre profissionais de imprensa e meios de comunicação. Priscila contou sobre os projetos e iniciativas desenvolvidos pela organização, incluindo um acelerador de oportunidades e um laboratório digital, além de claro a produção de notícias.

Para Priscila, tanto o jornalismo quanto o tráfico de drogas não têm fronteiras. Segundo ela, “O silêncio não pode ser uma opção.” A jornalista conta que a colaboração entre os profissionais é essencial, de forma que nenhuma localidade pode ficar isolada da cobertura noticiosa. Para isso, é importante a formação de uma rede de comunicação entre jornalistas, de modo a criar uma rede de apuração ampla e eficiente.

Para conhecer a iniciativa, basta entrar no site connectas.org. Para profissionais da imprensa que queiram colaborar de alguma maneira com a iniciativa, Priscila Hernandez adianta que os jornalistas não precisam estar ligados a nenhum meio de comunicação: “Sabemos que tem muitos jornalistas freelancers contando boas histórias.”

Mais conteúdo sobre:

ConectasAtivismoDireitos Humanos