Para onde vai o impresso?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para onde vai o impresso?

Redação

03 Outubro 2011 | 21h48

Quando passei para o Curso Estado de Jornalismo, muita gente me disse: “mas o que você quer em um jornal? Ninguém mais lê isso!” Quando se fala no destino do impresso, a polarização é o caminho mais fácil. Os mais radicais apostam que não demora muito a extinção do papel, seja ele suporte para livro, jornal ou revista. Os mais sonhadores abraçam a ideia de eternidade.

Em 2007, o repórter especial do Estadão Lourival Sant’anna defendeu uma tese de mestrado pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) que tenta entender qual o futuro do meio de comunicação do qual queremos fazer parte. Baseado no mesmo tipo de comentários que ouvi – e que quase todos nós ouvimos – Lourival se perguntou: “O jornal impresso, tal como o conhecemos, está fadado ao desaparecimento?”

Como os diretores de redação, peças de uma engrenagem cada vez mais profissionalizada e menos familiar, estão fazendo a interface dos valores de crebilidade com rentabilidade, essa “entidade”essencial para sobrevivência nos meios de comunicação?

O livro gira em torno de três fatos estruturais (acirramento da concorrência, mudança nos hábitos de leitura e inovações técnológicas) e como os três jornais mais influentes do país (O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e O Globo) estão se posicionando nesse novo cenário.

Longe de ter respostas definitivas (nem a academia nem as redações as têm), Lourival faz uma importante análise de como está se renovando o jornalismo que ele mesmo está acostumado a fazer. A conclusão sobre desaparecimento e eternidade do impresso ainda é uma incógnita, mas ele e todos nós sabemos que “a verdade provavelmente reside em algum ponto
entre os dois extremos”.

Para saber mais: O Destino do Jornal – A Folha de S. Paulo, O Globo e o Estado de S. Paulo na sociedade da informação, de Lourival Sant’anna (Ed. Record).

Talita Duvanel, de 25 anos, é formada em ComunicaçãoSocial, habilitação em Jornalismo, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)