Conseguir uma boa história, a recompensa de um jornalista
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Conseguir uma boa história, a recompensa de um jornalista

Redação

25 Outubro 2013 | 17h05

Por Fernando Arbex

Paulo Favero, da editoria de esportes de O Estado de S. Paulo, foi um dos palestrantes da Semana Estado de Jornalismo, nesta sexta-feira. O repórter disse que o trabalho pode ser muito físico, de a pessoa ter que carregar uma mochila pesada nas costas e buscar a reportagem. “A recompensa vem quando você consegue uma boa história”, afirmou Favero.

Ele disse que os jovens repórteres devem gostar de ir atrás da notícia e não se contentar a pesquisar apenas na internet. “É preciso buscar a fonte primária para uma entrevista”, afirmou o jornalista, que para o Estadão cobre futebol e MMA, além de, para uma matéria sobre os estádios da Copa de Mundo de 2014, colaborou na apuração, produção de texto e na infografia (abaixo, detalhe da infografia do novo Maracanã, no Rio).

Segundo o repórter, essa versatilidade pode ser um diferencial dentro de um veículo. “Trabalhar com vários temas e com ferramentas multimídias diferentes dá mais chance do profissional participar de grandes coberturas”, disse Favero, na Semana Estado. Sobre o sonho de alguns jovens de trabalhar com jornalismo esportivo, ele incentiva e faz uma ressalva ao mesmo tempo: “Você tem de ir atrás do sonho. Mas pode acontecer de outra editoria te ‘escolher’”.