As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quando as coisas não saem como esperávamos

Redação

06 Setembro 2011 | 12h55

Saber lidar com o inesperado é uma característica essencial aos jornalistas. E para que eu não me esquecesse disto, tive de lidar com o improviso logo de cara, no meu primeiro exercício enquanto foca. Depois de um breve passeio pelo centro de São Paulo com o jornalista e professor Luiz Carlos Ramos, tivemos de sair à caça de pautas e personagens.

Comecei, então, a caminhar sem destino, apenas com os olhos atentos e ouvidos abertos. Horas depois, me vi no tão famoso cruzamento das Avenidas Ipiranga e São João. Apesar de já ter passado por ali inúmeras vezes, algo me chamou a atenção desta vez: um prédio de arquitetura clássica, aparentemente residencial, ostentava em suas janelas cartazes que diziam que ali funcionava uma academia e um sex shop. Achei curioso e resolvi entrar.

Conversei com algumas pessoas e logo descobri que a academia estava ali instalada desde o início da década de 60. Saí de lá com algumas entrevistas feitas e o telefone do atual proprietário, filho do fundador da academia. Em casa, pesquisei um pouco mais sobre o estabelecimento e descobri que havia pouquíssimas publicações a respeito. Perfeito! Ao menos até eu ligar para o tal proprietário, que, por motivos pessoais, não conseguiria me atender a tempo.

Sem uma carta na manga, passei parte da noite de sábado pesquisando uma nova pauta. Acabei me decidindo pelo Mosteiro de São Bento, que celebra aos domingos uma missa acompanhada pelo canto gregoriano de padres beneditinos. Por fim, acabou dando tudo certo. Lá, encontrei personagens que não só atendiam a minha busca, mas acabaram por tornar a matéria ainda mais rica e interessante.

Enfim, lidar com o inesperado tem sido um aprendizado constante. Muitas e muitas pautas ainda vão cair, e me desesperar em nada ajuda. O texto tem de ser entregue, o jornal tem de ser fechado, impreterivelmente. Manter o foco e ter flexibilidade em momentos como esse é fundamental.

Cristiane Nascimento, de 23 anos, cursa o último ano de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero