“Radiojornalismo é, antes de tudo, amor pelo que se faz”, diz Paula Marinho
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“Radiojornalismo é, antes de tudo, amor pelo que se faz”, diz Paula Marinho

Carla Miranda

21 Outubro 2015 | 23h33

Por Jamylle Mol

A segunda parte do painel “Grandes reportagens: temas que exigem imersão”, nesta quarta-feira, 21, segundo dia de Semana Estado, contou com a participação de Paula Marinho, gerente de notícias da Rádio Estadão. Em pauta, discussões sobre as especificidades da grande reportagem no universo do rádio e as exigências que a notícia em tempo real demanda do repórter. Segundo Marinho, para trabalhar com o factual, é preciso, antes de tudo, uma enorme paixão pela profissão. “Radiojornalismo é ter muito amor pelo que se faz, é algo que vem extremamente do coração”, diz.

O tempo do rádio é, muitas vezes, diferente dos tempos de outras produções jornalísticas, já que, nesse contexto, o imediato está presente de uma forma muito mais explícita. É por isso que, de acordo com Marinho, as grandes reportagens radiofônicas exigem uma enorme sinergia da equipe da rádio. “Em grandes coberturas, todos têm que trabalhar juntos: âncoras, editores, repórteres e produtores. Assim, é possível manter um fluxo de informação e fazer com que ele chegue ao ouvinte”, explica.

Para Marinho, algumas notícias exigem uma mudança de planos e uma reestruturação da equipe, como foi no dia do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria (RS), em janeiro de 2013. “Em casos como esse, é preciso ter o cuidado de transmitir a informação de uma maneira que não seja caricata. Afinal, o rádio é o primeiro veículo a levar a notícia para o ouvinte e, por isso, essa informação deve ser confiável e conter o máximo de desdobramentos possível”, conta.

Para aqueles que desejam trabalhar com radiojornalismo, o conselho é simples: “o primeiro de tudo é a motivação pessoal. É fazer o que se faz com prazer para desenvolver um bom trabalho. É importante conseguir levar isso para o final do curso”, diz Marinho.

Paula Marinho - Semana Estado 2015 Foto: Jamylle Mol

Paula Marinho – Semana Estado 2015
Foto: Jamylle Mol