Sobre jornalistas e blogs
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sobre jornalistas e blogs

Redação

25 Novembro 2010 | 15h34

Mais exceção do que regra, sou um dos poucos aqui que nunca teve ou escreveu para um blog. Apesar da frequência dos meus posts não ser tão grande, posso dizer que tem sido divertido. Apesar de nunca ter me sentido tão exposto.

Explico: em um blog nos moldes do Em foca e de boa parte dos blogs jornalísticos presentes na internet, tão ou mais importante do que O QUE se escreve é QUEM escreve. Ao ler o Pedro Doria, o José Roberto Toledo ou o Luiz Carlos Merten – para citar apenas blogs do Estadão – mais do que uma notícia, espera-se uma análise de alguém mais conhecedor do tema que o próprio leitor. No nosso caso, tão importante quanto o que o curso está nos ensinando, como o “foca” está aprendendo e quais são as impressões deles sobre isso é um baita atrativo.

No jornalismo, não é em toda área que se pode ser tão autoral quanto em um blog. Tanto a rotina de uma redação não oferece tempo para realizar isso sempre, quanto o leitor do jornal não quer as dezenas de matérias diárias num estilo tão pessoal.

E o leitor é figura importantíssima nos blogs e, em alguns casos, nos sites noticiosos. A relação entre quem escreve e quem lê tornou-se muito mais próxima com os comentários, características básica dos blogs e que os sites passaram a adotar há poucos anos. Essa interação com o leitor traz mais vida aos textos, porque além da lógica de escrever para ser lido, o repórter também lê, e muitas vezes lê o que ele não gostaria de ouvir. Mesmo porque as seções de comentários nos blogs jornalísticos são sempre um espaço de crítica muito maior que de elogio.

Aqui, o jornalista se expõe muito mais do que em qualquer outro tipo de texto. O exemplo mais profundo disso é a nosso foto embaixo de cada post. Ou alguém consegue imaginar uma foto do repórter ao lado de cada matéria?

Mas o fato de a informação do blog ser diferente da veiculada no jornal não afasta os dois. Pelo contrário, em alguns casos, aproxima. O Estadão é um desses casos. Quando esteve conosco, o editor-chefe de conteúdos digitais do Grupo Estado, Pedro Doria, contou que o número de leitores acessando o site do jornal a partir dos blogs é muito grande e, por isso mesmo, o jornal tem aberto cada vez mais espaço para esse tipo de transmissão de conteúdo. Basta olhar na coluna à direita a quantidade de blogs que o Estadão tem. Mas não se esqueçam de retornar para o Em Foca. A gente ainda tem muita história para contar até dia 10 de dezembro.

Rodrigo Rocha, de 23 anos, cursa o último semestre de Jornalismo na Universidade de São Paulo (USP)

Mais conteúdo sobre:

BlogsPedro DoriaRodrigo Rocha