As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vencedor do Esso, Luiz Ribeiro conta o segredo do bom jornalismo

Redação

12 de junho de 2015 | 16h33

Por: Isabela Bonfim

Ele já acumula 44 prêmios de jornalismo. Venceu quatro vezes o mais tradicional e importante concurso de reportagem do país, o Prêmio Esso. Apenas na edição de 2014, foi laureado em duas categorias. O jornalista Luiz Ribeiro abriu o bloco de palestras da 3ª Semana Estado de Jornalismo Ambiental nesta sexta-feira (12), mas antes bateu um papo exclusivo com o blog Em Foca sobre meio ambiente e bom jornalismo.

Natural de Francisco Sá, pequeno município no norte de Minas Gerais, Ribeiro escreve histórias das quais ele também é personagem. Mas é na voz de outros iguais, que sofrem cotidianamente os destemperos da região de clima semi-árido, que ele constrói a sua narrativa. “Você só percebe que o problema está acontecendo, quando sente na sua casa”, defende. E foi para aproximar o Brasil da casa daqueles que são vítimas da seca que, juntamente com o repórter Mateus Parreiras, o jornalista percorreu 3.200 km no norte de Minas. O resultado foi a série de reportagens “Nova Fronteira da Seca”, vencedora do último Prêmio Esso, categoria regional.

foto01

Luiz Ribeiro fala sobre seca e problemas hídricos na 3ª Semana Estado de Jornalismo Ambiental

Trazer o leitor para a realidade dessas regiões e mostrar o impacto que mesmo as pequenas medidas governamentais causam na vida das pessoas é o compromisso profissional que Ribeiro assumiu. “Eu procuro nas minhas matérias talvez cumprir a missão maior do jornalismo, que é você influenciar as pessoas positivamente e criar a consciência para um mundo melhor”, afirma.

É também por isso que, mesmo sendo repórter de dois grandes jornais como Estado de Minas e Correio Braziliense, Ribeiro optou por continuar morando em Montes Claros, onde começou a carreira. “Ali eu vivo diretamente os problemas e uso a minha experiência e reportagem para contribuir com os gestores, que determinam como devem ser implementadas as políticas públicas.” Ele mostra como é possível, e necessário, que o jornalismo seja feito também distante das grandes capitais.

Quando questionado sobre o segredo para tantos prêmios, ele riu. “Não existe isso de escrever matéria para ganhar prêmio, isso é bobagem”, arremata. Ribeiro defende que o jornalista deve ter como primeiro objetivo promover reflexão e influenciar políticas públicas. Mas o diferencial está em contar boas histórias, para ele não há nada mais importante do que o argumento humano. “Qualquer boa matéria só tem valor se tiver personagens.” Ele avisa aos jovens jornalistas que a receita é simples: “Esforço, dedicação e muita leitura.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: