A 2ª semana da CPI da Covid: governo enquadrado? Ouça no ‘Estadão Notícias’

A 2ª semana da CPI da Covid: governo enquadrado? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

14 de maio de 2021 | 00h10

A CPI da Covid encerra mais uma semana de trabalhos com depoimentos que colocaram em xeque a atuação do governo na aquisição de vacinas, já em 2020. O gerente-geral da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, confirmou que foram cerca de 5 ofertas, no ano passado, que somavam 100 milhões de doses do imunizante.

O executivo do laboratório confirmou o que foi apontado um dia antes pelo ex-secretário de Comunicação do governo federal, Fabio Wajngarten: a gestão Bolsonaro deixou de responder à proposta da empresa durante 2 meses.

Por falar no ex-chefe da Secom, o seu depoimento é considerado o mais tenso até aqui. O ex-assessor deu informações consideradas “mentirosas” pela cúpula da CPI sobre campanhas publicitárias relativas à Covid-19, sobre as negociações com a Pfizer, e a existência de um “assessoramento paralelo” para orientar Bolsonaro. Por causa dessas declarações, o relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL) pediu a prisão de Fabio Wajngarten, o que foi rejeitado pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM).

No episódio de hoje, vamos analisar a semana da comissão com os repórteres do Estadão, Adriana Ferraz, direto de São Paulo, e Lauriberto Pompeu, que está em Brasília.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Emanuel Bomfim

Produção/Edição: Gustavo Lopes, Julia Corá e Ana Paula Niederauer

Sonorização/Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.