A economia do bico: entregadores botam apps na parede; ouça no ‘Estadão Notícias’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A economia do bico: entregadores botam apps na parede; ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

06 de julho de 2020 | 00h05

Um protesto ocorrido na semana passada mostrou um drama que vivem aqueles trabalhadores que não tiveram a chance de permanecer em casa na pandemia: os entregadores que fazem o serviço de delivery. A principal reclamação é sobre a precariedade do serviço, e a falta de equipamentos de segurança, para realizar as entregas de maneira segura em tempos de coronavírus. Essas exigências são consideradas complexas, já que os entregadores são autônomos e, na teoria, as empresas teriam poucas obrigações trabalhistas. Por outro lado, os aplicativos de entrega tiveram um ganho com a pandemia, mesmo com a reclamação de colaboradores e contratantes.

Afinal, o que querem os entregadores? As empresas de delivery têm responsabilidade sobre eles? Na edição de hoje, conversamos sobre o assunto com Paulo Lima, um dos líderes do movimento dos entregadores, com Paula Freitas, especialista em direito trabalhista e pesquisadora da Unicamp, e com Juliana Inhasz, professora de Economia do Insper.

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: