A matemática salva vidas em tempos de pandemia? Ouça no ‘Estadão Notícias’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A matemática salva vidas em tempos de pandemia? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

12 de maio de 2020 | 06h00

Os números estatísticos apresentados durante a pandemia do coronavírus têm gerado preocupação por parte de governos estaduais e profissionais da saúde e incredulidade do presidente Jair Bolsonaro e de alguns membros de sua equipe. São diversos dados que trazem uma noção de como estaríamos se o isolamento social não fosse aplicado e quantas pessoas devem estar contaminadas por causa da subnotificação. Afinal, como funciona um estudo estatístico sobre a Covid-19? O que é levado em conta na hora de fazer esses estudos?

Na edição de hoje, vamos conversar com o médico e pesquisador do Imperial College de Londres, Ricardo Parolin, e com o professor e pesquisador do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica da Unicamp, Paulo Silva. No quadro “Fique em Casa”, Renata Cafardo entrevista o maestro Eduardo Strausser, sobre como está encarando o período de quarentena e autoisolamento.

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.