A tentativa do PT liderar a oposição; ouça no ‘Estadão Notícias’

A tentativa do PT liderar a oposição; ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

14 de setembro de 2020 | 00h05

Nos próximos dias, o PT lançará um programa de reconstrução nacional da legenda, mas, não apenas isso, o partido quer reunificar a esquerda para fortalecer a oposição ao governo de Jair Bolsonaro. Segundo dirigentes petistas, a construção deste programa ouvirá as demais legendas do bloco para debater proposições de enfrentamento a atual administração federal. No entanto, após as eleições de 2018, a relação do PT com esses outros partidos, como PDT, PSB e Rede, ficou desgastada, com acusações de que a legenda simplesmente ignorou os sinais do antipetismo e insistiu em uma candidatura própria, o que, segundo esses partidos, ajudou a eleger Jair Bolsonaro.

Afinal, as demais legendas de oposição estão dispostas a se unir ao PT para contra-atacar Bolsonaro? Na edição de hoje, conversamos sobre o assunto com o repórter do Estadão, Ricardo Galhardo. Além disso, ouvimos algumas lideranças partidárias de oposição sobre o assunto, como André Figueiredo do PDT, Luciana Santos, do PCdoB, e Juliano Medeiros, do PSOL.

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.