Acharam o Queiroz! Qual o impacto para o clã Bolsonaro? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Acharam o Queiroz! Qual o impacto para o clã Bolsonaro? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

19 de junho de 2020 | 06h00

Fabrício Queiroz, aquele da pergunta: “Onde está o Queiroz?”, foi encontrado em uma casa na cidade de Atibaia, no interior de São Paulo. O ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro foi preso, preventivamente, a pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro, que investiga o esquema de “rachadinhas”, quando funcionários devolviam parte do salário a deputados estaduais. Entre os gabinetes investigados está o do filho “01” do presidente. Hoje, senador, Flávio sempre negou qualquer participação no esquema, e chegou a dizer que acredita na inocência de Queiroz. Durante a investigação, foram encontradas movimentações atípicas na conta do ex-PM, inclusive, envolvendo um cheque de 24 mil reais da primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Afinal, o que Queiroz tem a dizer? Qual o impacto da sua prisão para família Bolsonaro? E o futuro de Flávio no Senado? Na edição de hoje, conversamos sobre o assunto com o editor do BR Político, Marcelo de Moraes e com a jornalista do Broadcast Político, Beth Lopes

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.