Conteúdo patrocinado: Empreendedorismo feminino: como inserir as crianças nesse mundo?; Ouça no podcast

Conteúdo patrocinado: Empreendedorismo feminino: como inserir as crianças nesse mundo?; Ouça no podcast

Bárbara Guerra

21 de janeiro de 2021 | 17h00

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae apontou que 50% dos empresários que estão tentando criar um negócio ou já administram uma empresa com até 3 anos e meio de mercado são mulheres. O número equivale a 26,5 milhões de brasileiras à frente de um empreendimento. Ou seja, as mulheres já tem representatividade muito ativa no setor de empreendedorismo.

Em contra partida, a pandemia causou a interrupção das atividades de 39% dos negócios conduzidos por mulheres. 47% das empresárias disseram que os negócios ainda estão funcionando, mas com movimento bem menor e para 33% das entrevistadas o rendimento mensal chegou a zero. O estudo foi realizado pelo Instituto Locomotiva e pela Rede Mulher Empreendedora.

O que nós percebemos com essa situação é que esse cenário, apesar de parecer positivo, ainda precisa amadurecer muito.

Mas diante disso tudo nós também percebemos que nós estamos inseridos nesse cenário por um problema cultural. A questão é: como mudar isso? A dica é: na infância. Meninas e meninos precisam saber lidar com equidade.

Para falar sobre o assunto, a jornalista Bárbara Guerra conversou com a Luciana Cattony, cofundadora da consultoria Maternidade nas Empresas, uma consultoria para equidade de gênero com foco na valorização da parentalidade no universo corporativo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.