Editorial: A longevidade do real